Como Investir com Pouco Dinheiro de Forma Eficaz e Inteligente (e ganhar muito!) em 7 Simples Passos

“Como investir com pouco dinheiro?”

Esta é, provavelmente, a pergunta que eu mais recebo dos leitores do Clube do Valor.

E a história por trás desta pergunta é sempre a mesma…

Você percebe que é importante trabalhar para a sua independência financeira.

Então, começa a estudar sobre finanças pessoais.

Conhece alguns bons blogs, lê alguns bons livros.

Com consequência, consegue juntar um bom dinheiro e decide que começará a investir.

Mas daí chega a hora de “pôr a mão na massa”e você trava.

Você sente uma grande insegurança… Não sabe nem por onde começar.

Isso aconteceu comigo e, provavelmente, acontece com você.

Pensando nisso, desenvolvi este guia completo que lhe mostrará, em 7 passos lógicos, como investir com pouco dinheiro.

Ao longo deste artigo, tratarei de pontos como…

  • O que fazer antes de pensar em investir
  • Como entender o motivo por que você investe
  • Como definir objetivos financeiros e aumentar as suas chances de conquistá-los
  • Como investir com pouco dinheiro no curto prazo
  • Como investir com pouco dinheiro no médio prazo
  • Como investir com pouco dinheiro no longo prazo
  • Como investir na bolsa de valores com pouco dinheiro

Interessante?

Então continue lendo este artigo e aprenda absolutamente tudo que você precisa saber antes de começar a investir com sucesso!

PASSO #1 – LIVRE-SE DE DÍVIDAS

Querer investir estando endividado é algo bem contra intuitivo.

Eu sei: isso não faz nenhum sentido.

Mas a realidade é que muitos querem começar a investir estando endividados.

Conheço algumas pessoas (e lhe garanto que não são 1 ou 2 apenas) que se desorganizam em meio a tantas contas para pagar e acabam entrando em cheque especial.

Até aí, nenhuma novidade.

Afinal, o cheque especial é figura constante na vida dos brasileiros, especialmente na daqueles que não conseguem economizar dinheiro.

O problema é que estas mesmas pessoas que estão no cheque especial (que eu citei conhecer algumas linhas acima) mantém o dinheiro aplicado em renda fixa na corretora… Ou ainda na poupança.

Ou seja: elas possuem dinheiro para investir e não usam este dinheiro para pagar as dívidas.

Por favor, não siga os passos delas.

Se você possui dívidas, está no cheque especial ou com a conta do cartão de crédito atrasada, comece se livrando dessa dívida.

Daí sim, passe para o passo número 2 deste guia 🙂

PASSO #2 – CONSTITUA A SUA RESERVA FINANCEIRA

Esse assunto é recorrente no CDV.

A reserva financeira, reserva de emergência ou colchão de liquidez já foi tratada em diversos posts.

O importante a saber, aqui, é que você precisa constituir esta reserva antes de pensar em qualquer investimento com prazo mais longo.

Ela é muito importante para que você tenha paz de espírito para lidar com despesas imprevisíveis no seu dia-a-dia, como…

  • Perda de emprego
  • Conserto da casa
  • Conserto do carro

Esta reserva deve ser investida em produtos de investimento de renda fixa, pós-fixados e com liquidez diária.

E o tamanho da reserva deve ser de 3 a 12 vezes as suas despesas médias mensais.

E se você ainda não sabe qual é o valor que gasta, em média, por mês, está na hora de descobrir (leia este artigo aqui para saber como).

PASSO #3 – ENTENDA POR QUE O DINHEIRO É IMPORTANTE PARA VOCÊ

Este passo vai parecer um clichê, mas não é.

Antes de definir qualquer tipo de objetivo financeiro, você precisa entender por que o dinheiro é importante para você.

Como fazer isso?

Simples: faça a você mesmo a seguinte pergunta:

“Por que o dinheiro é importante para mim?”

Talvez você pense em algo mais genérico e abstrato, como “liberdade” ou “segurança”.

Neste caso, repita a pergunta:

“Por que liberdade é importante para mim?”

E assim sucessivamente.

E entender o seu “porquê” de investir é essencial para que você entenda quais são seus principais valores, desejos e medos.

E reconhecer seus valores, desejos e medos é necessário para que você determine seus objetivos financeiros.

PASSO #4 – CRIE E DOCUMENTE OBJETIVOS FINANCEIROS

Neste ponto, você está quase pronto para investir.

Já usou seu dinheiro para quitar dívidas de curto prazo, já montou sua reserva de emergência e já tem uma boa ideia da importância do dinheiro em sua vida.

Chegou a hora, então, de escrever todos seus objetivos de vida num papel (ou num documento do word ou, ainda, numa planilha do excel).

Não apenas documente seus objetivos, como também tente estimar um valor financeiro e um prazo para a conquista de cada um.

Aqui, você não precisa ser o mais exato possível em relação à valores e prazos.

O que importa é ter uma boa ideia de onde você quer chegar, quando e quanto isso custará, financeiramente.

DICA NINJA: Ponha, de fato, estes objetivos no papel. Pessoas com planos e objetivos claros e por escrito os alcançam com 50% mais freqüência do que pessoas com planos e objetivos claros, porém não por escrito.

E não sou nem eu que digo isso, e sim um estudo da Harvard 😉

PASSO #5 – PARA INVESTIMENTOS DE CURTO PRAZO, INVISTA EM ATIVOS DE RENDA FIXA PÓS-FIXADA COM LIQUIDEZ DIÁRIA

Com objetivos bem claros definidos, fica muito mais fácil decidir onde investir.

Então, pegue tudo que você estima conquistar no curto prazo (e por curto prazo, leia-se entre 1 dia e 1 ano) e invista o valor necessário em renda fixa.

Mais do que apenas renda fixa, escolha um título pós-fixado.

Como fazer isso com pouco dinheiro?

Através do tesouro direto!

Nesta plataforma, você consegue investir em títulos públicos com R$ 30,00.

O melhor – e único – título público com esta característica que cito é a LFT (também chamada de Tesouro Selic).

Eu falo melhor sobre este (e outros) títulos públicos neste post ou neste vídeo que segue abaixo:

Não invente de investir o valor separado para objetivos de curto prazo em títulos de renda fixa atrelados à inflação ou prefixados.

Por quê?

Simplesmente porque títulos prefixados e atrelados a inflação não possuem rendimentos estáveis e previsíveis em prazos curtos.

Estes títulos são excelentes, mas para o investimento em médio e longo prazo, como veremos à seguir.

Este é o principal ponto que eu tento explicar neste post em que comparo títulos pós-fixados com prefixados: LTN ou LFN? Em qual título investir?

PASSO #6 – PARA INVESTIMENTOS DE MÉDIO PRAZO, CRIE UMA DIVERSIFICADA CARTEIRA DE RENDA FIXA

“Médio prazo”, para mim, é o prazo que existe entre 2 e 5 anos.

Para objetivos com este prazo, você já pode incrementar melhor a sua carteira de investimentos.

Ou seja: você pode investir, também, em títulos públicos atrelados à inflação (NTN-B e NTN-B Principal) e títulos prefixados (como a LTN).

Pode incluir aí, também, títulos privados, como CDB, LCI, LCA, etc.

Aliás, uma dúvida muito recorrente neste ponto é onde investir o dinheiro: em CDB ou Tesouro Direto?

Eu respondo essa dúvida neste artigo completo e neste divertido vídeo abaixo.

PASSO #7 – PARA INVESTIMENTOS DE LONGO PRAZO, CRIE UMA DIVERSIFICADA CARTEIRA QUE INCLUA AÇÕES E FUNDOS IMOBILIÁRIOS

Talvez você tenha percebido que ainda não falei nada sobre o investimento na bolsa de valores, neste guia.

Pois não foi à toa: eu gosto muito – e quero incentivar você a gostar também – do investimento em renda variável (leia-se “ações” e “fundos imobiliários”).

Entretanto, eu possuo uma abordagem bem clara de longo prazo para estes investimentos.

Portanto, recomendo que você invista neles apenas para objetivos de prazos mais longos.

É claro que aqui eu dou uma exagerada.

Você até pode incluir um pouco de renda variável em suas carteiras com prazo de 3, 4 anos.

Mas o “grosso” mesmo deste investimento precisa ser para objetivos mais longos.

Digo isso porque o retorno futuro da bolsa de valores é absolutamente imprevisível, apesar de, em prazos mais longos, ele superar (e muito!) o investimento em renda fixa.

Portanto, você não pode correr o risco de não alcançar objetivos de curto e médio prazo por conta de seus investimentos em renda variável.

Como investir na bolsa de valores com pouco dinheiro?

Se você me acompanha há mais tempo, sabe que eu gosto da abordagem de diversificação de investimentos.

E é praticamente impossível montar uma carteira diversificada de ações e fundos imobiliários com pouco dinheiro.

No caso dos fundos imobiliários, a solução é adquirir um fundo de fundos de investimento imobiliário.

Tratam-se de FIIs normais, negociados em bolsa, mas cuja carteira é composta de outros fundos imobiliários, também negociados em bolsa.

É a única maneira que eu conheço de montar uma diversificada carteira de FIIs com pouco dinheiro.

Focando mais nas ações, quero lhe apresentar duas maneiras de investir com pouco dinheiro – e de forma diversificada – nesta classe de ativos.

A primeira delas é investir através de um fundo de investimento.

Um fundo de investimento nada mais é do que um condomínio que reúne o valor investido de todos os investidores e monta uma carteira de ações (que pode ser diversificada ou não), geridas por um gestor profissional.

É uma forma rápida e simples de investir de forma diversificada e com pouco dinheiro.

O seu papel, neste caso, seria o dia analisar o gestor do fundo.

Descobrir sua estratégia, o quanto cobra (lembrando que a cobrança é sempre um percentual, como 1% ou 2% sobre a carteira ao ano) e se ele diversifica a carteira de investimentos.

A outra forma é através de fundos de índice (ou “ETFs”).

Os ETFs (Exchange Traded Funds) são fundos negociados em bolsa (como se fossem ações) que buscam espelhar determinados índices de referência, como o índice Ibovespa.

Assim, se o ETF possui como referência o Ibovespa, por exemplo, sua carteira será praticamente igual à carteira do Ibov.

Sobre como investir com pouco dinheiro em ações, eu prefiro a abordagem do investimento via ETF.

Isso porque esta é uma forma barata, de baixo custo e com alta liquidez de montar uma diversificada carteira de investimentos em bolsa.

Destaco, aqui, três ETFs que eu gosto bastante:

  • BOVA11
  • SMAL11
  • PIBB11

O primeiro espelha a carteira do índice bovespa, o segundo espelha a carteira do índice “Small Caps” e o terceiro espelha a carteira do índice IBRX-50.

As taxas de administração destes fundos costumam ser muito inferiores às taxas cobradas pelos gestores de fundos de ações e são, respectivamente, de 0,54%, 0,69% e 0,059% ao ano.

CONCLUSÃO

Espero que você tenha gostado deste completo passo a passo sobre como investir com pouco dinheiro.

Recapitulando, aqui eu lhe apresentei uma sequência lógica de 7 passos para começar a investir com sucesso, mesmo com pouco dinheiro:

  • Livre-se das dívidas
  • Monte sua reserva de emergência
  • Entenda o porquê de ter dinheiro
  • Crie objetivos financeiros baseados no seu porquê de ter dinheiro
  • Invista em renda fixa pós-fixada para o curto prazo
  • Monte uma diversificada carteira de renda fixa para objetivos de médio prazo
  • Monte uma carteira diversificada em várias classes de ativos para o longo prazo.

Acha que acabamos por aqui?!

Ainda não!

Separei, também, 5 dicas extras para que você invista com mais sucesso.

Você pode ter acesso às dicas no minuto 10:25 do vídeo que segue abaixo.

Gostou?

Então não deixe de compartilhar este artigo nas redes sociais.

Tenho certeza que você possui muitos parentes e amigos que poderiam se beneficiar com o conteúdo aqui apresentado.

Clique no botão abaixo e compartilhe na sua rede social favorita:

E, também, deixe um comentário compartilhando as suas dúvidas e dizendo se você gostou ou não do artigo.

Seu feedback é muito importante para mim!

Grande abraço e até a próxima,

Ramiro.

  • Parabéns pelo excelente artigo Ramiro!!! São passos fundamentais que devem estar presente em qualquer planejamento financeiro.

    Um grande abraço.

    • Ramiro Gomes Ferreira

      Muito obrigado pelo feedback e pela participação, Cleiton!

      Grande abraço!

  • Cláudia Barbosa

    Olá me chamo CLAUDIA e como muitos Brasileiros estou na pindaiba rsrs porém estou tentando sair do vermelho e aprender a investir.
    Eu ja tenho uma corretora e tbm ja comprei dois títulos se é assim que posso chama-los, mas títulos baratinhos de 50,00 e outro de 60,00 , agora vamos para a minha maior dúvida !
    Tenho um titulo tesouro prefixado e outro IPCA + .
    Ramiro oque eu quero é mesmo que pouquinho guarda todo mês e se eu posso por exemplo neste mesmo tesouro IPCA colocar uma vez por semana ou de quinze em quinze nele mesmo.
    Porq quando vc guarda na poupança ou faz um CDB em banco vc faz sempre no mesmo sem mudança de datas não é ? Ja pelo que eu estou entendendo se eu quiser nesta próxima semana guarda 100,00 eu tenho que colocar talvez até no mesmo tesouro mas com datas de vencimentos diferentes é isso ?
    E qual investimento para mim vc indicaria lembrando que eu posso até guarda um valor de 200,00 mês!
    Obg espero ter conseguido expressar minha duvida .
    Há adorei seu canal, parabéns

    • Ramiro Gomes Ferreira

      Fala Cláudia! Muito obrigado pela participação! Para um investimento recorrente desta faixa de valores, recomendo mesmo o tesouro direto, pois será a melhor opção em custo/benefício para você! Grande abraço e bons investimentos!