Guia Completo: Como Escolher a Melhor Corretora de Valores para Começar a Investir o seu Dinheiro em 9 Simples Passos

Você já sentiu isso?

Aquela sensação de que o seu banco é o pior lugar possível para investir o seu dinheiro?

Ou aquela insegurança muito grande na hora de escolher a melhor corretora de valores para você migrar os seus investimentos?!

Pois isso é muito comum entre os investidores brasileiros, sobretudo os iniciantes!

Antes de mais nada, meus parabéns.

Meus parabéns por ter a atitude de procurar uma alternativa à corretora de valores do seu banco!

Isso, por si só, já mostra que você é um investidor mais interessado do que a média.

Provavelmente, foi com essa intenção que você caiu aqui neste post.

Caso você tenha chegado por outro motivo, não se preocupe.

O conteúdo a seguir é importantíssimo para todos os investidores. 

Afirmo isso porque a sua leitura pode significar uma economia relevante por ano em taxas e corretagem.

Até agora, no Clube do Valor, eu já falei sobre diversos tipos de investimentos.

Só para você ter uma ideia, já criei conteúdos sobre:

Além de artigos sobre lições para ter sucesso financeiro, armadilhas para quem quer ficar rico rápido e mostrando o melhor investimento que você pode fazer hoje.

Mas dessa vez eu quero ir um pouco além destes assuntos e fazer uma análise completa sobre um tema um pouco diferente.

Hoje eu quero falar sobre como escolher a melhor Corretora de Valores para que você comece a investir o seu dinheiro.

Para isso, criei este conteúdo super-completo.

Nele, você encontrará um roteiro passo-a-passo para avaliar qual corretora é a melhor para você!

No final eu ainda comento sobre as minhas corretoras preferidas.

Esse é um assunto especialmente importante para aqueles que estão começando sua jornada em direção à independência financeira.

Então continue lendo para aprender detalhes importantes, como:

Eu sei que esse assunto despertou o seu interesse.

E também sei que há mais pessoas que possam estar querendo entender tudo isso que você esta prestes a aprender.

Por isso, convido você a compartilhar esse artigo com seus amigos e familiares!

Assim você estará me ajudando na missão de espalhar a filosofia da independência financeira para mais pessoas!

O QUE É UMA CORRETORA DE VALORES?

Se você já é um investidor, provavelmente faça seus investimentos através da corretora do seu banco.

E se você investe através da corretora do seu banco, deve estar se perguntando:

Qual é a vantagem de procurar uma corretora independente?”

É verdade que existem argumentos (a maioria deles, bem fracos) para permanecer com a corretora vinculada a um grande banco.

Porém, os motivos para você procurar uma empresa independente são mais fortes.

Primeiro, vamos entender as “supostas vantagens” da corretora do seu banco.

A primeira delas é a comodidade.

E essa é a principal maneira por que as pessoas seguem investindo nas corretoras dos bancos.

Afinal, estamos falando de um “braço” da companhia que opera dentro da própria instituição financeira.

Assim, o banco pode oferecer facilidades, como o cadastro descomplicado e o acesso “exclusivo” aos ativos daquele banco (que, na maioria das vezes, não são atrativos do ponto de vista financeiro).

Outra vantagem é a possibilidade de oferecer transferências gratuitas entre a conta no banco e a conta na corretora.

Entretanto, esses dois argumentos perdem seu valor se considerarmos as desvantagens de manter-se ligado ao banco por meio de uma corretora própria.

Uma delas é o custo de oportunidade.

Ou melhor: o custo de oportunidade perdido ao permanecer ligado a um banco.

Como a instituição financeira tem seus próprios interesses, ela pode limitar a sua oferta a ativos financeiros que estejam intimamente ligados aos seus benefícios próprios.

Um bom exemplo é o fato de que não são todos os bancos que oferecem aos seus clientes a possibilidade de investir no Tesouro Direto.

Em vez disso, preferem disponibilizar CDBs do próprio banco (o que pode ser um bom negócio ou não, como vimos neste artigo) ou pior: títulos de capitalização (que é o pior “investimento” – se é que pode ser chamado disso – que você pode fazer).

Por meio de uma corretora independente, você tem acesso a uma quantidade maior de ativos, aumentando o seu leque de opções na hora de investir.

Mas a principal vantagem – e a mais importante, em minha opinião – é a possibilidade de se livrar das altas taxas cobradas por corretoras vinculadas a bancos.

Esse é um assunto do qual vamos falar daqui a pouco.

COMO SABER SE UMA CORRETORA DE VALORES É CONFIÁVEL?

Se estamos falando de uma corretora vinculada a um banco, a solidez da instituição financeira geralmente é um bom indicativo da confiança daquela empresa.

Porém, como o foco aqui são as corretoras independentes, é preciso investigar um pouco mais para descobrir se elas são ou não confiáveis.

Para nossa sorte, há diversas formas de se fazer isso.

A seguir, vou sugerir alguns métodos práticos para verificar a solidez de uma corretora independente.

Todas as dicas a seguir possuem o mesmo grau de importância se você está buscando uma empresa confiável para depositar o seu dinheiro.

Portanto, verifique sempre os pontos abaixo antes de decidir entre uma corretora e outra.

PASSO #1 – CONFERIR O CADASTRO NA CVM

Todas as Corretoras de Valores devem estar devidamente cadastradas na CVM.

A CVM, ou Comissão de Valores Mobiliários, é a entidade responsável por regular o mercado de investimentos.

Graças à CVM, é possível descobrir se a empresa é uma das participantes cadastradas/autorizadas a atuar no mercado.

Descobrir se a corretora está devidamente autorizada a operar é importante para que você não caia em golpes, achando que está transferindo dinheiro para uma corretora séria quando, na verdade, está enviando seu dinheiro para algum estelionatário.

A consulta é bastante simples.

Ela exige apenas uma pesquisa rápida na Central de Sistemas para descobrir como determinada empresa participa desse mercado.

É possível que estejamos falando de companhias que atuam como Bancos Múltiplos (como o Itaú e Banco do Brasil) ou aquelas que atuam apenas como corretoras, como é o caso de grande parte das empresas independentes desse setor.

A CVM ainda oferece outra ferramenta para verificar a idoneidade dos participantes do mercado.

Através do menu “Consulta a Processos Sancionadores”,  é possível consultar se determinado participante já cometeu alguma infração no mercado de valores mobiliários e como isso ficou resolvido.

Basta apenas inserir o nome da empresa (banco ou corretora) no campo “Acusado” e realizar a pesquisa.

PASSO #2 – CONFERIR SE A CORRETORA POSSUÍ O SELO “CETIP CERTIFICA”

A Cetip, ou Centro de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos, é uma empresa de capital aberto que serve como uma integradora do mercado financeiro.

O que ela faz é atuar como custodiante de títulos do mercado de crédito privado.

Todo título de crédito privado emitido no sistema financeiro nacional deve ser registrado em seu sistema.

Ela é responsável por fornecer o selo “Cetip Certifica”.

Essa é uma certificação quer permite que as corretoras intermediem a compra de títulos privados para seus clientes.

Ela basicamente comprova o registro da aplicação do cliente identificando o CPF (ou CNPJ se pessoa jurídica) em determinados investimentos de crédito privado.

Para o investidor, isso é importante para garantir que as movimentações no mercado financeiro estejam devidamente registradas em seu nome.

Se a instituição financeira (corretora ou banco) na qual o seu dinheiro está aplicado possui o selo “Cetip Certifica”, você pode ficar despreocupado.

Os seus títulos e investimentos estarão seguros e protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), quando esta proteção é aplicável.

No caso das corretoras e bancos, possuir o selo “Cetip Certifica” transmite segurança e transparência para o investidor, o que é bom para atrair mais clientes.

Portanto, como investidor você sempre deve questionar se a instituição financeira possui a certificação da Cetip para os investimentos que você está procurando.

Se a corretora ou banco possuir o “Cetip Certifica”, esse é um grande indicativo de que a empresa é confiável e de que ela oferecerá um leque de opções de investimentos em títulos de crédito privado.

PASSO #3 – CONFERIR OS CERTIFICADOS DA BM&FBOVESPA

Pensando nos requisitos operacionais desse mercado, a BM&FBOVESPA também criou um mecanismo para verificar se uma empresa atende à demanda exigida.

Trata-se do Programa de Qualificação Operacional, ou PQO.

São vários certificados diferentes conferidos por esse programa: Agro Broker, Carrying Broker, Execution Broker e Retail Broker.

Para a maioria de nós, investidores pessoa física, o selo mais importante é o Retail Broker.

Ele é especialmente importante porque avalia as corretoras dentro dos seguintes aspectos:

  • Oferta de serviços de assessoria e plataforma eletrônica de negociação de produtos financeiros, especializados em investidores pessoas físicas.
  • Diversificação de produtos, conteúdo educacional e de alternativas de investimento.
  • Oferta de ferramentas de negociação de tecnologia móvel e plataformas eletrônicas voltadas a investidores.

Percebe como atender a esses pontos torna uma corretora melhor preparada para conversar com os clientes?

No momento em que este artigo está sendo redigido, as seguintes empresas possuem o certificado Retail Broker:

  • AGORA CTVM S.A.
  • ATIVA INVESTIMENTOS S.A. CTCV
  • BRADESCO S/A CTVM
  • BRASIL PLURAL CCTVM S/A
  • CITIGROUP GMB CCTVM S.A.
  • CLEAR CTVM LTDA
  • CREDIT SUISSE BRASIL S.A. CTVM
  • EASYNVEST – TITULO CV S.A.
  • ELITE CCVM LTDA.
  • FATOR S.A. CV
  • GERAÇÃO FUTURO CV S.A.
  • GUIDE INVESTIMENTOS S.A. CV
  • COMMCOR DTVM LTDA
  • KIRTON CTVM S.A.
  • ICAP DO BRASIL CTVM LTDA
  • ITAÚ CV S/A
  • SAFRA CVC LTDA.
  • DO BRASIL COR. S.A. CTVM
  • NOVA FUTURA CTVM LTDA
  • PLANNER CV S.A
  • RENASCENÇA DTVM LTDA
  • SANTANDER CCVM S/A
  • SOCOPA SC PAULISTA S.A.
  • SPINELLI S.A. CVMC
  • TERRA INVESTIMENTOS CM S.A.
  • TULLETT PREBON BRASIL S.A. CVC
  • UBS BRASIL CCTVM S.A.
  • UM INVESTIMENTOS S/A CTVM
  • VOTORANTIM CTVM LTDA
  • XP INVESTIMENTOS CCTVM S.A.

Vale ressaltar que essa lista pode ser constantemente atualizada.

Para conferir quais são as corretoras que possuem o certificado Retail Broker, basta apenas consultar este link.

PASSO #4 – CONFERIR SE A CORRETORA ESTÁ HABILITADA A OPERAR NO TESOURO DIRETO

Se você deseja montar uma diversificada carteira de investimentos através da sua corretora, esta precisará oferecer a opção de investimento através do Tesouro Direto.

Neste caso, há mais um filtro a ser realizado.

No site oficial do programa de compra de Títulos Públicos, há uma página especialmente dedicada que lista todas as instituições financeiras habilitadas.

Lá você pode encontrar as corretoras e bancos que trabalham com o Tesouro Nacional para oferecer essa opção de investimento.

Porém, essa não é apenas uma lista simples.

A tabela também identifica as empresas que são Agentes Integrados, se permitem aplicação programada, as taxas e o prazo de repasse dos recursos em dias úteis.

Essas são informações muito importantes a serem consideradas na hora de escolher uma Corretora de Valores.

Os Agentes Integrados, por exemplo, oferecem um sistema próprio que conversa com a plataforma de compras de Títulos Públicos.

Isso se traduz em maior facilidade para o cliente na hora de comprar e vender através do Tesouro Direto.

QUAIS SÃO AS TAXAS ENVOLVIDAS NA HORA DE SE INVESTIR POR MEIO DE UMA CORRETORA?

Como prometido, chegou a hora de falar das taxas.

Esse é um dos fatores que mais pesam na hora de escolher entre uma corretora e outra.

Também é o motivo pelo qual sugiro fortemente que todos fujam das corretoras vinculadas aos bancos.

Elas geralmente se posicionam como vantajosas, mas cobram taxas altas para operar em determinados investimentos.

As taxas a seguir são válidas para a maioria das corretoras, mas podem variar dependendo do tipo de produto escolhido.

PASSO #5 – CONFERIR A TAXA DE CUSTÓDIA

A taxa de custódia é o valor cobrado para manter armazenadas as informações de títulos e ações de determinado investidor.

Essa é uma tarifa geralmente cobrada mensalmente, mas que pode ser isenta em alguns casos.

No caso de investimentos em renda variável, é comum a prática da isenção caso haja uma corretagem mensal mínima.

O interessante aqui seria optar por uma corretora que não cobre taxa de custódia mensal de você.

Num primeiro momento, esta taxa pode parecer irrelevante (geralmente orbita entre +- R$ 7 e R$ 20/mês).

Mas, na realidade, dependendo do seu patrimônio aplicado, ela pode corroer grande parte dos seus ganhos.

Se você está investindo R$ 1.000,00 por meio de uma corretora que cobre R$ 10,00 por mês de taxa de custódia, em 1 ano você “deixou na mesa” 12% do seu capital nesta taxa (12x R$ 10,00).

Mesmo se você investir R$ 10.000,00, essa taxa ainda representa 1,2% ao ano.

Isso é muito alto!

PASSO #6 – CONFERIR AS CONDIÇÕES DE CORRETAGEM

Essa é a cobrança realizada para operações no mercado de renda variável.

Toda vez que o investidor compra ou vende uma ação, por exemplo, está realizando um comando que será tarifado pela corretora.

É neste ponto que as empresas do segmento procuram lucrar mais.

Para tanto, algumas até oferecem isenção de outras tarifas para atrair consumidores para a Bolsa de Valores e lucrar com a taxa de corretagem.

Para investidores com visão de longo prazo, como a que eu tento passar através do Clube do Valor, o interessante seria buscar por descontos de corretagem.

Entretanto, cuidado com os estímulos que as corretoras podem fazer para que você “gire” mais a sua carteira (faça compras e vendas de ativos com mais frequência).

Muitas corretoras proporcionam aos investidores excelentes descontos nas corretagens, mas o incentivam a ficar toda hora comprando e vendendo ativos de renda variável.

Como eu já comentei no artigo sobre especulação financeira, este é o caminho garantido para grandes prejuízos financeiros.

PASSO #7 – CONFERIR AS TAXAS DE TRANSFERÊNCIA (TED E DOC)

Por mais que você nunca tenha investido, já deve ter se deparado com os custos de transferência.

Essa taxa é cobrada sempre que você quiser transferir seu dinheiro de uma conta para outra.

Ela pode incidir tanto em transferências da sua conta bancária para sua conta na corretora, quanto em transferências da sua conta na corretora para a sua conta bancária.

Em algumas instituições financeiras, há isenção quando a transferência é realizada dentro do mesmo banco.

Porém, o TED (Transferência Eletrônica Disponível) e o DOC (Documento de Ordem de Crédito) aparecem como únicas opções para os casos de repasse de recursos entre bancos e corretoras.

É verdade que alguns bancos conseguem oferecer isenção dessa tarifa para as corretoras vinculadas.

Mas é possível obter TEDs e DOCs gratuitos em algumas corretoras (para transferências da corretora para o seu banco) e em alguns bancos (para transferências entre a conta bancária para a da corretora), principalmente por meio das contas digitais.

Para saber mais sobre esse assunto, confira esse nosso artigo completo sobre o tema e de quebra aprenda a economizar até R$ 658,80 por ano.

PASSO #8 – CONFERIR A TAXA DE ADMINISTRAÇÃO PARA APLICAÇÕES NO TESOURO DIRETO

Essa é a taxa que acaba pesando contra muitos bancos e corretoras.

Em geral, especialmente quando consideramos outros investimentos, “taxa de administração” é uma tarifa cobrada por empresas que prestam o serviço de escolher os melhores ativos financeiros para o cliente.

Neste caso específico, me refiro à taxa de administração cobrada pelas corretoras para o investimento no Tesouro Direto.

Essa cobrança é opcional e muitas corretoras oferecem isenção dessa taxa como forma de atrair novos clientes.

Embora a taxa de administração possa parecer não fazer sentido, já que são os próprios investidores que escolhem os títulos, a sua manutenção se justifica por conta dos custos operacionais das empresas.

Para continuar operando, alguns bancos e corretoras preferem passar esse custo para os investidores.

Busque por corretoras que não cobrem taxa de administração para operar no Tesouro Direto (ou que cobrem taxas bem baixas, como 0,1% ou 0,2% ao ano).

OUTROS FATORES QUE PODEM AJUDAR NA ESCOLHA

Além de considerar a confiabilidade e as taxas cobradas pelas corretoras, é preciso observar outros fatores que determinam a sua escolha.

Podemos chamar esses argumentos de “secundários”, mas que possuem grande importância dependendo de quais são seus planos para seus investimentos no futuro.

PASSO #9 – CONFERIR DEMAIS BENEFÍCIOS OFERECIDOS PARA OS CLIENTES

Se você pretende manter um longo relacionamento com a corretora, vale a pena pesquisar se ela oferece um atendimento ao cliente de qualidade.

Descubra também se os custos e taxas são apresentados de forma simples e clara.

Isso geralmente é um indício de transparência por parte da empresa.

A existência de cursos oferecidos pela corretora é outro fator que acaba contando ponto para a empresa.

Se no futuro você pretende partir para investimentos mais sofisticados, descubra se há um Home Broker de qualidade, se ele está disponível para dispositivos móveis e se há simuladores para praticar sem correr riscos.

Por fim, outras vantagens acessórias podem ajudar a desempatar o jogo entre duas corretoras.

Para ajudar seus clientes, algumas oferecem recomendações de investimentos ou calculadora de imposto de renda e até plataforma de análise técnica.

AFINAL, QUAL CORRETORA ESCOLHER PARA INVESTIR MEU DINHEIRO?

Infelizmente não há uma resposta certeira para essa pergunta.

Realmente é preciso fazer a análise e descobrir qual é a melhor corretora para você.

A minha principal recomendação é que você utilize uma corretora independente.

Eu, pessoalmente, já tive conta em diferentes corretoras (principalmente na época em que eu “investia” com foco no curto prazo) e hoje gosto bastante da iCap do Brasil (MyCap), XP Investimentos e Easynvest.

Tenho conta nas duas primeiras e já ouvi falar muito bem da terceira.

Outra sugestão bacana que pode ajudar você na tomada de decisão é a análise do ranking do tesouro direto com as instituições financeiras com o maior número de transações.

Esse é um bom indicativo de como os investidores estão se comportando e como as empresas estão conquistando os consumidores no mercado.

Para consultar esse ranking atualizado, que é renovado todos os meses, acesse este link no Tesouro Nacional.

COMO ABRIR UMA CONTA EM UMA CORRETORA DE VALORES?

Depois de explicar tudo isso, de nada ia ter adiantando se eu não mostrasse como você pode abrir uma conta em uma Corretora de Valores para investir o seu dinheiro.

O processo obviamente pode variar de uma empresa para outra, mas geralmente mantém a simplicidade.

Graças aos avanços tecnológicos, é possível fazer todo o processo pela internet, 100% online.

Tudo o que você precisa fazer é acessar o site da corretora e procurar por uma opção de cadastro.

Durante o processo, vai ser exigido a cópia de alguns documentos, que podem ser digitalizados e enviados para a empresa.

Geralmente são:

  • Documento de identificação com foto (RG ou CNH).
  • CPF
  • Comprovante de endereço
  • Comprovante de renda (às vezes opcional)

A partir daí, todos os documentos serão analisados.

A resposta geralmente chega após alguns dias, informando a seu login e senha para acessar a plataforma da corretora.

Depois disso, você já poderá começar a investir pelo próprio computador, smartphone (caso haja opção) ou pelo telefone (pode haver cobrança extra).

CONCLUSÃO

Esses são os passos para você escolher a melhor corretora de valores para investir o seu dinheiro

Achou muito complicado?

Ficou com dúvidas no meio do caminho?

Então deixe seu comentário aqui embaixo!

Ficarei muito feliz em poder ajudá-lo a dar início a sua jornada em rumo à independência financeira.

Espero que você tenha gostado desse artigo!

Um grande abraço,

Ramiro.

  • malanar11

    Acho a parte de renda fixa da easynvest muito bom. Encontrei opções melhores que em outras corretoras e é fácil operar. Renda variável é meio cara para quem faz poucas operações.

    • Ramiro Gomes Ferreira

      Fala Malanar11!

      De fato, a easynvest consegue títulos privados com ótimas taxas. Além disso, se não me engano foi uma das primeiras a aderir à política de taxa 0 para tesouro direto.

      O problema é que “não existe almoço grátis” e, então, elas tentam compensar isso com a corretagem.

      Uma estratégia bacana seria usar ela para RF e uma outra corretora para RV… Daí só teria que ver se o “desconforto” em ter duas contas, ter que fazer duas TEDs, etc., compensa o diferencial de custos.

      Obrigado pela participação!

      Grande abraço!

      • malanar11

        Ter 2? Deveria ter parado a tempos atrás, tenho 8. 🙂

        • Ramiro Gomes Ferreira

          heheheheh eu cheguei a ter 4 ativas, mas já mandei fechar as 2 que não utilizava mais 🙂

  • Uorrem Bife Uó

    Muito bom este post, nem conhecia estas certificações, bom saber! Estou pra fazer dois post sobre corretoras já tem alguns meses, mas vou focar nos balanços trimestrais e nas taxas cobradas. Na ocasião vou fazer um link para este post como complemento.
    Hj estou trabalhando com 4 corretoras: Walpires, Rico, MyCap e Mirae.
    Abraço!

    • Ramiro Gomes Ferreira

      Grande Uó!

      Muito obrigado pelo feedback e por mais uma participação.

      Já fiquei ansioso para ver o seu post, que tenho certeza que complementará muito bem este daqui.

      Legal saber também das corretoras que você utiliza. Isso engrandece o debate e ainda ajudará, certamente, os investidores que investem ainda pelo banco a escolher a melhor corretora para eles.

      Grande abraço!

  • Fabiano

    Bom dia, excelente post! Segui todos os passos para verificar se as corretoras que me atendem estão certificadas, e uma delas, a Orama, não possui todos os certificados. Você conhece essa corretora? Tem alguma restrição em relação a mesma?