Como Escolher um Seguro Auto – O Guia Absolutamente Completo

seguro auto

Por acaso você possui um carro ou uma moto?

Em caso positivo, este veículo possui seguro?

Espero que sim.

Mas se você faz parte da maioria dos brasileiros, provavelmente você não tenha seguro para seu veículo.

Porque segundo uma pesquisa feita pelo Ibope em parceria com a Mapfre Seguradora, 67% da frota de automóveis no Brasil não possui seguro auto!

E se você faz parte desta maioria, você está correndo um grande risco.

Neste artigo, você aprenderá tudo o que você precisa saber antes de contratar um seguro automotivo ou seguro de moto.

Mais abaixo, explicarei absolutamente tudo sobre os seguintes tópicos:

  • Quem é quem nas relações de seguros.
  • Quais são as principais coberturas oferecidas e quais coberturas você deve contratar.
  • Como o preço do seguro é afetado de acordo com uma série de características suas e do seu veículo.
  • Como escolher o seguro com melhor custo benefício.
  • Os principais erros que as pessoas cometem ao contratar um seguro de carro.
  • Como escolher um corretor de seguros de confiança.

Além de todos estes pontos, o artigo está repleto de dicas valiosas para que você consiga escolher um seguro barato e de qualidade!

Afinal, mesmo tentando proteger o seu patrimônio você pode encontrar uma maneira de economizar dinheiro, investindo com inteligência 🙂

Então, continue lendo para tirar todas as suas dúvidas sobre seguro de carros e dominar o assunto.

Se Você Possui Um Carro, Contrate um Seguro Auto Agora!

seguro auto

Nos últimos anos, a quantidade de veículos vendidos no Brasil alcançou patamares recordes.

Hoje, existem muito mais automóveis nas ruas do que há 10 anos.

E quando eu digo muito, eu quero dizer MUITO mesmo.

Em 2006, por exemplo, foram licenciados menos de 2.000.000 carros no Brasil ao longo do ano, segundo a série histórica da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).

Este ano (2015), mesmo com a queda de mais de 20% na quantidade de veículos licenciados até agora na comparação com o mesmo período no ano passado, a produção passará com folga os 2.000.000 de veículos produzidos em 2006.

E neste período de nove anos entre 2006 e 2015, a média de novos veículos em circulação por ano passou de 3.000.000.

O que tudo isso significa?

Que a frota em circulação está maior do que nunca.

Em outras palavras, que “nunca antes na história deste país houve tantos veículos nas ruas”.

E com mais veículos em circulação, maior é o número de acidentes, maior é o mercado de reposição de peças e, consequentemente, maior é a quantidade de veículos roubados.

Provavelmente você conheça alguém que teve seu automóvel furtado ou roubado num passado recente, não é?

Eu, infelizmente, conheço diversos casos.

Conheço, inclusive, um caso ainda pior, de uma prima distante que financiou seu carro em 36 vezes e foi assaltada na primeira semana de uso do veículo, antes de contratar o seguro.

Ela ficou 35 meses pagando uma parcela alta por um carro que ela não tinha mais!

Agora, imagine se isso ocorre com você.

Provavelmente seria uma tragédia financeira, certo?

Então, não dê chance para o azar!

Não pense em adquirir um veículo sem contratar algum seguro.

Aliás, só adquira um carro ou moto se você puder arcar com a despesa que a contratação do seguro irá gerar.

E se você possui um carro sem seguro, procure fazer um o quanto antes!

Contratar Seguro = Paz de Espírito!

seguro paz de espírito

Uma despesa com seguro é aquela típica despesa que ninguém gosta de arcar.

Se você não se envolve em nenhum acidente e não precisa utilizá-lo, fica uma sensação de ter jogado dinheiro fora.

E claro, quando há algum sinistro (isto é, situação em que o seguro é acionado), também fica uma sensação ruim.

Afinal, não há como se sentir bem diante de um acidente grave ou de um roubo.

Mas a realidade é que corremos muitos riscos, por mais que às vezes não tenhamos esta sensação.

E acidentes e imprevistos ocorrem nos momentos em que menos esperamos.

A chance de você se envolver em algum ao longo da sua vida não é desprezível.

Então você precisa mitigar estes riscos com a contratação de seguros. Se você planeja uma viagem, por exemplo, precisa contratar um seguro viagem.

Se você possuí dependentes financeiros, por exemplo, então precisa de um seguro de vida.

Da mesma forma, se você possui um bem caro, como um carro, precisa de um seguro para ele!

Frente a este cenário, o seguro auto acaba tornando-se o “remédio” que traz a “paz de espírito” para você, caso você se envolva em alguma situação desagradável.

Explicando de maneira simples: o seguro de carro protege você! Ele lhe fornece segurança!

Se você sofrer um incidente negativo e não tiver seguro, tal qual o caso da minha prima, você põe o seu patrimônio em risco!

E no seu plano de investimentos, você não pode correr o risco de ter que arcar inesperadamente com uma despesa do porte de um veículo.

Contratação Do Seguro: Como Funciona o Mercado e Quais são os Principais Termos.

quem é quem na relação de seguros

Antes que você entre em contato com algum corretor de seguros, é bom que você entenda bem como o mercado funciona.

Ter uma noção básica sobre o mercado de seguros lhe permitirá conversar de igual para igual com as pessoas que vivem o dia-a-dia dele.

Neste processo, temos basicamente três personagens:

  • O segurado.
  • A seguradora.
  • O corretor.

O segurado é quem contrata o seguro. No caso, você.

Esta contratação se dá a partir do pagamento de um prêmio, que é o jargão utilizado no mercado para dar nome ao preço do seguro.

A seguradora é quem recebe o prêmio, emite a apólice e arca com o sinistro, caso ele ocorra.

Apólice é o instrumento do contrato de seguro que especifica o bem coberto, as coberturas contratadas, etc.

Sinistro, por sua vez, é a situação inesperada que gera um desembolso financeiro.

Este desembolso financeiro realizado pela seguradora quando há algum sinistro é chamado de indenização.

Já o corretor de seguros é a pessoa que faz a intermediação entre o segurado e a seguradora.

É com ele que você negocia o prêmio e entra em contato caso tenha alguma dúvida ou sinistro para notificar.

Além desses participantes, outra particularidade do mercado é a franquia do seguro.

Não se engane, porque não tem qualquer relação com uma franquia de loja ou de rede de fast food.

A franquia, no universo dos seguros, é um valor que o segurado vai ter que arcar para que a seguradora faça o conserto do veículo.

Funciona como se fosse um “sinal”, ou uma divisão de prejuízos com a seguradora.

Ela também serve como um mecanismo de prevenção de fraudes, para evitar eventuais “golpes” de segurados mal intencionados.

A franquia só não é cobrada quando há perda total, em casos de incêndio, raio e explosão e quando o seu veículo é roubado e não é encontrado.

Perda total, por fim, é o termo utilizado quando o dano no seu veículo é tão grande que a seguradora lhe reembolsa o valor equivalente ao do seu veículo.

Existe, também, uma série de outros termos particulares à este mercado, que eu prefiro não tratar neste artigo.

Se você quiser complementar ainda mais seu vocabulário nesta área, visite esta excelente página do site “Tudo Sobre Seguros” 🙂

Principais Fatores que Influenciam o Preço do Seguro de Carro e Como Reduzir o Preço do Seguro Sem Comprometer sua Qualidade

como economizar na contratação de seguro

A cotação do seguro auto irá variar de preço (prêmio) de acordo com uma combinação de diversos fatores.

Assim, para que você contrate o melhor seguro (principalmente na relação entre custo e benefício), é importante que você esteja atento a todos eles.

Abaixo, listamos os principais e damos algumas dicas para você reduzir o preço do seu seguro:

Fator #1 – Seu veículo

Pode parecer meio óbvio, mas muitas pessoas negligenciam este fator.

Existem três principais aspectos relacionados ao seu veículo que você precisa ficar de olho:

  • Modelo
  • Idade
  • Índice de roubo

O primeiro item é intuitivo: quanto mais caro for o modelo do seu veículo, maior tende a ser o valor do seu seguro.

Além disso, quanto maior a cilindrada e a velocidade máxima do veículo, maior o prêmio do seguro. Por isso, carros com menos motor costumam ter um seguro mais barato.

Agora se o seu veículo for muuuito antigo, o custo das peças e manutenção pode ser bem superior ao normal, aumentando, também, o prêmio do seguro.

Por fim, o índice de roubo de veículos é um dos fatores que mais afeta o preço do seguros.

Os veículos mais roubados possuem seguros mais caros.

Se você pensou algo como “mas como é que eu vou saber quais carros são mais roubados?”, eu te tenho uma boa notícia:

É possível ter acesso ao índice dos veículos mais roubados, pela internet.

A Susep (Superintendência de Seguros Privados) fornece o índice de veículos roubados por região do Brasil neste link.

Dica de ouro: Faça sempre sua pesquisa antes de adquirir seu veículo e não compre veículos com índice de roubo alto!

Fator #2 – Tipo de cobertura oferecida

coberturas de seguros

A cobertura que a sua seguradora pode oferecer para o seu carro varia.

As principais modalidades são:

  • Compreensiva (ou “total”).
  • Roubo ou Incêndio.
  • Responsabilidade civil (contra terceiros).

A modalidade compreensiva, como o nome já diz, compreende tudo: danos causados numa colisão, por um incêndio, furto ou roubo.

Na maioria dos casos, compreende também a responsabilidade civil contra terceiros.

Entretanto, é bom sempre conferir com o seu corretor se a responsabilidade civil também é coberta por ela.

O seguro contra roubo ou incêndio não inclui ao segurado os reparos ou a indenização recebida por conta de uma colisão. Desta forma, seu preço é inferior.

A responsabilidade civil contra terceiros cobre danos morais, materiais e corporais causados a terceiros.

Isto inclui desde reparos ao veículo do condutor, até postes em via pública e muros, caso o segurado tenha destruído algum no seu acidente.

A cobertura de responsabilidade civil também cobre eventuais gastos existentes com a internação de vítimas e processos por danos morais.

Além destas três modalidades, muitas seguradoras oferecem serviços extras, como carro reserva, chaveiro, seguro para vidros, para-brisa, guincho ilimitado e aí por diante.

Dica de ouro: Contrate o seguro total (compreensivo) com responsabilidade civil.

Entretanto, verifique se você não consegue reduzir o valor do prêmio se abrir mão de serviços que podem ser desnecessários, como “guincho ilimitado” ou “carro reserva”, por exemplo.

Fator #3 – Região de circulação

Os locais onde o seu veículo mais circula e onde ele fica estacionado também entram na conta!

Se você trabalha ou reside numa área com maior índice de acidentes ou de roubos, seu seguro será mais caro.

Se você estaciona seu veículo na rua, seu seguro também será mais caro.

E como a seguradora fica sabendo destas informações?

É simples: você que fornece a elas, através de um questionário obrigatório que todo segurado tem que preencher antes de contratar o seguro.

Dica de ouro: jamais minta neste questionário. Além de quebrar o principio número 1 de todas as relações (a confiança), trata-se de uma fraude e você corre o risco de não ser reembolsado caso a seguradora descubra que você omitiu algum dado ou mentiu no questionário.

As seguradoras costumam verificar os dados disponibilizados pelos seus clientes de maneira sistemática.

Não corra este risco, e jamais confie ou faça negócios com corretores que lhe instruam a mentir neste questionário!

Fator #4 – Seu Gênero

Você já ouviu a expressão “Mulher no volante, perigo constante?”

Bem, na prática esta piadinha não faz sentido.

Digo isso porque o seguro para mulheres é mais barato que o para homens, na enorme maioria dos casos.

Curiosidade: É mais barato porque mulheres costumam ser menos roubadas que homens e, apesar de se envolverem em mais acidentes, geralmente estes acidentes não passam de colisões menores e com baixo custo de manutenção.

Fator #5 – Sua Idade

Motoristas jovens são menos experientes.

Em alguns casos eles até podem dirigir melhor que motoristas mais antigos, mas o fato é que eles se envolvem em mais acidentes.

E eles ainda costumam sair mais à noite, aumentando o risco de roubo.

Assim, se o segurado possui entre 18 e 25 anos, mais ou menos, o seguro costuma ser mais caro do que o normal.

Dica de ouro: Algumas seguradoras dão descontos para motoristas jovens, que podem chegar até 30%, incentivando-os a participar de cursos de direção defensiva. Este é o caso da Porto Seguro, com o Seguro Auto Jovem (Verifique a região de cobertura desta promoção).

Fator #6 – Forma de pagamento

Há uma infinidade de formas de pagamento disponíveis: parcelado, à vista, débito em conta, no boleto, etc.

Claro, estas modalidades podem variar de seguradora para seguradora.

Dica de ouro: Analise a quantidade de parcelamento máximo sem juros e opte por esta opção. Jamais parcele com juros!

Fator #7 – Dispositivos de Segurança.

dispositivos de segurança do carro

A lógica aqui é bem simples: carros equipados com dispositivos de segurança, como trava automática, rastreador e alarme, possuem seguros mais baratos 🙂

Dica de ouro: Instale dispositivos de segurança.

Na maioria das vezes, a instalação destes dispositivos sai mais barato do que pagar por uma apólice maior de seguros.

Fator #8 – Franquia

Por último, deixei um dos fatores mais importantes na formação do preço do seguro: a modalidade da franquia.

Conforme explicado no início deste post, a franquia é aquele valor que o segurado tem que arcar sempre que acontece algum sinistro que não resulte em perda total.

Ao contratar um seguro, você pode optar por diferentes tipos de franquias.

As principais são:

  • Franquia básica
  • Franquia ampliada
  • Franquia reduzida
  • Franquia isenta

A básica é a mais comum, responsável pela maioria das apólices de seguros de carros vigentes no Brasil.

A franquia ampliada é quando o segurado tem que arcar com um valor maior sempre que há cobrança de franquia.

A franquia reduzida é aquela em que o segurado deve pagar um valor inferior ao normal em caso de sinistro.

Por fim, a modalidade de franquia isenta é aquela em que não há cobrança de franquia em hipótese alguma.

Como você pode imaginar, se você optar por franquia isenta ou reduzida, o prêmio do seguro será maior.

Dica de ouro: opte pela maior franquia possível. Na enorme maioria dos casos, a redução do preço do seguro irá ser vantajosa.

Talvez você pense “Mas, e se eu me envolver em algum acidente? Não vou ter que arcar com custos maiores?”

A resposta é: sim, você terá que pagar mais.

Mas lembre-se: pequenas batidas possuem um custo de reparo tão baixo, que nem compensa acionar o seguro (quando a franquia é superior ao custo de reparação).

Além disso, você economizará na contratação do seguro e nas sucessivas renovações.

É melhor economizar na contratação do seguro, pagando um prêmio inferior, e constituir sua reserva de emergência para lidar com custos imprevisíveis, como o da franquia, caso você tenha que arcar com ele.

E se você não tem uma reserva de emergência, constitua uma imediatamente.

Este é um dos primeiros passos que você deve tomar para organizar suas finanças pessoais!

Principais Erros na Contratação de Seguro de Carros.

apólice de seguro

Se você chegou até este ponto do artigo, provavelmente já saiba muito mais sobre seguros autos do que a maioria das pessoas.

E provavelmente você já tenha identificado alguns erros que você mesmo comete ao contratar um seguro.

Mais importante do que contratar o seguro mais barato é contratar o melhor seguro para você.

E, de preferência, fazer com que o melhor seguro seja o mais barato possível 🙂

Abaixo, listo os principais erros que vejo as pessoas cometerem ao contratar um seguro de carro:

Erro #1 – Não saber o que está contratando

Este é o erro que eu mais acompanho.

Muitas pessoas simplesmente não sabem que possuem alguns benefícios oferecidos pelo seguro.

Contratam o seguro sem saber o que ele cobre e o que ele oferece!

Já me deparei com situações em que conhecidos tiveram seu vidro quebrado (no caso, roubaram o rádio do carro) e só foram saber que o seguro cobria o conserto do vidro depois de eu comentar isso com elas.

Então, antes de fechar um negócio, converse bastante com o seu corretor e entenda qual cobertura está sendo contratada.

Leia e releia sua apólice e conheça seus direitos e deveres!

Erro #2 – Contratar coberturas adicionais desnecessárias

coberturas extras desnecessárias

Lá em cima, eu citei que existem diversas coberturas adicionais às tradicionais.

Hoje em dia, as seguradoras oferecem mais e mais serviços ao segurado como forma de diferenciação.

São benefícios extras, como:

  • Carro reserva para você utilizar enquanto o seu está no conserto;
  • Serviço de chaveiro;
  • Seguro para vidros;
  • Seguro contra furto do rádio;
  • Guincho com quilometragem ilimitada.

Neste mar de benefícios, você deve ficar atento para não levar mais do que o necessário.

Se você só utiliza seu veículo na sua cidade, não faz sentido contar com o serviço de “guincho com quilometragem ilimitada”, por exemplo.

Se você aguentaria ficar alguns dias sem utilizar o seu carro, caso ele fique na oficina, dispense também o “carro reserva”, que encarece bastante a apólice.

Outros benefícios, como seguro contra furto do rádio, às vezes acabam se cobrindo itens “baratos” (se comparados ao preço de um carro novo) e encarecendo sua apólice de forma desproporcional.

Erro #3 – Contratar “seguros piratas”

Talvez você já tenha sido abordado, ou conheça alguém que tenha sido, por uma “associação de proteção veicular” que tenha lhe oferecido uma opção extremamente mais barata para proteger seu automóvel.

Sempre desconfie destes casos.

Não deixe de checar na Susep quais são as seguradoras autorizadas a operar no Brasil.

Lembre-se: às vezes o barato sai caro!

Erro #4 – Mentir no questionário da seguradora.

É através do preenchimento de um questionário que a seguradora vai avaliar o risco e determinar o preço do seguro do seu carro.

Todos os aspectos citados que tratam da formação do preço de um seguro são avaliados através deste questionário.

Já dei a dica lá em cima, mas não custa reforçar: jamais minta ou omita informações ao preencher este questionário.

Se você estaciona seu veículo na rua, deixe isso bem claro.

Se há outro condutor que utilize seu veículo, não deixe de informar.

Além de ser antiético, mentir nestas situações é ilegal e pode lhe causar grandes transtornos.

Erro #5 – Não procurar por descontos.

No mercado de seguros existe uma série de descontos oferecidos pela seguradora ao segurado.

O já citado desconto para jovens condutores é apenas um exemplo de desconto bacana que poucas pessoas conhecem.

Algumas seguradoras oferecem desconto para bons motoristas (sem histórico de multas ou acidentes).

Outras oferecem descontos por fidelidade (quando você renova o seu seguro com ela).

Não deixe de buscar por todos os descontos possíveis!

O importante é ficar atento e lutar por algum desconto.

Erro #6 – Não contatar (ou aproveitar) seu corretor.

Não se sinta constrangido em entrar em contato com o seu corretor de seguros.

O corretor de seguros é obrigado por lei a intermediar as relações entre seguradora e segurado e está no mercado justamente para atender aos clientes da melhor maneira possível.

Então, sempre que você tiver alguma dúvida, fale com ele.

Se passar por algum sinistro, ligue imediatamente para ele.

E se houve alguma alteração em relação aos itens do questionário de avaliação de risco, contate ele!

Como Escolher o Melhor Corretor de Seguros!

corretor de seguros

Um dos aspectos mais importantes no mercado de seguros é contratar um corretor que trabalhe em prol de seus interesses.

O mercado de corretagem de seguros é composto por mais de 70.000 corretores e, neste mar de profissionais, você precisa separar o joio do trigo.

A seguir, seguem minhas dicas para que você consiga escolher o melhor corretor possível:

#1 – Procure um Corretor-Consultor.

Vá atrás de corretores que prestem um serviço diferenciado, como se fossem consultores de seguros.

Fique atento em quais estão atrás das melhores alternativas para você e quais tentam desesperadamente aumentar o prêmio e ganhar mais comissões.

#2 – Assistência 24h por dia em casos de sinistros é essencial.

Sinistros ocorrem quando a gente menos espera.

E sempre que eles acontecem, é com o seu corretor que você terá que entrar em contato. É ele que irá lhe orientar e dizer o que você tem que fazer.

Eu mesmo, por exemplo, passei por um sinistro no dia 1o de janeiro e, mesmo sendo feriado, meu corretor foi excelente na prestação do serviço e me orientou com paciência e calma.

Então, procure por corretores que prestem um serviço 24 horas por dia, 7 dias por semana, e que tenham prazer em lhe atender.

Nem que isso signifique uma apólice um pouco mais cara.

#3 – Procure Corretores Independentes.

Existe mais de uma centena de seguradoras operando no Brasil.

Existe, também, alguns corretores que possuem exclusividade com alguma seguradora.

Fuja deles.

Faça sua cotação com corretores que possuam bom relacionamento com uma grande gama de seguradoras.

Assim, eles conseguirão encontrar a melhor relação custo x beneficio em uma apólice com mais facilidade.

#4 – Evite Contratar o Seguro em Bancos.

Um erro comum que eu vejo muitas pessoas cometerem é a contratação de seguro no seu banco.

Os bancos brasileiros muitas vezes tem seguradoras próprias.

Outros, que não possuem sua própria seguradora, têm relação com poucas seguradoras e só oferecem os seguros delas.

O que isto significa?

Que dificilmente elas oferecerão a melhor solução. Eles não vão oferecer o que é melhor para você.

Além disso, o atendimento tende a ser menos qualificado e menos pessoal.

Então, desbancarize-se!

#5 – Experiência no Mercado é Importantíssimo

Dê preferência a corretoras de seguros com mais experiência.

Provavelmente, os profissionais por trás dela já passaram por diversas situações e poderão lhe ajudar e orientar melhor.

Claro, isso não significa que você não deva contratar corretores que ingressaram no mercado recentemente.

Mas, na dúvida, dê peso à experiência.

Conclusão

seguro auto

Espero que você tenha aproveitado este guia completo sobre contratação de seguros de carro!

Se você gostou deste texto, por favor compartilhe-o nas redes sociais.

Assim, você estará ajudando o Clube do Valor a impactar cada vez mais pessoas 🙂

E, se você ainda ficou com alguma dúvida, deixe um comentário aqui abaixo. Será um prazer respondê-lo.

Nos vemos na próxima!

Abraço,

Ramiro