Cada vez mais ouvimos relatos de investidores feridos e confusos, sem saber o que fazer com o seu dinheiro depois de serem bombardeados por notícias chamativas e, se nos permite dizer, sensacionalistas, alertando para uma de duas coisas:

  • ou a melhor oportunidade do século;
  • ou o fim do Brasil e de tudo como conhecemos.

E, para que você tenha tranquilidade para ler essas notícias sensacionalistas sem se preocupar, este texto vai te mostrar o que fazer com os seus investimentos em momentos de crise.

Crises financeiras e o aumento da inflação

Para começar, queremos te mostrar um gráfico:

São quarenta e seis anos de história, resumidos de forma visual.

Perceba que ele mostra, já descontando a inflação, o desempenho das principais classes de ativos de 1975 até o final de 2020:

evolução inflação e investimentos clube do valor

Temos:

Além disso, temos também a Estratégia Bull Bear em roxo, e o modelo de alocação “moderado” em laranja: que representa um investimento de 60% na Estratégia Bull Bear, e 40% em Selic, representando a renda fixa.

Como você já sabe, 2020 foi um ano bastante caótico, com as bolsas de valores derretendo, vários circuit breakers em sequência – os primeiros de muuuuitos investidores -, e um sentimento geral de pânico e de medo dada à pandemia que estava recém começando ali em março.

Se você tivesse 20 anos de idade em 1975, no final de 2020 teria 65 anos, que é bem próximo da idade para pedir a aposentadoria pelo INSS, por exemplo.

Jornada do investidor

Esse é basicamente o gráfico de uma jornada de um investidor comum, que passa pelas mais diversas crises internas e externas.

Ou seja:

Que vê seu país crescendo e se desenvolvendo, e que também vê seu país se desvalorizando no mercado internacional.

É a história de alguém que vê as taxas de juros da renda fixa subirem, para depois cair.

Que vê o dólar caindo, para depois subir.

E que constantemente é bombardeado, ao longo dos anos, das mais diversas notícias e previsões de especialistas de investimentos.

É a jornada do investidor comum, que se apavora com as crises no exterior, que vê os Estados Unidos, atualmente a maior economia do mundo, entrando em completa crise de tempos em tempos.

É o caminho comum de TODOS os investidores de longo prazo.

Crises passadas

De 1975 até hoje, o Brasil foi de uma ditadura militar à uma democracia com voto popular.

O investidor comum viu os Estados Unidos saírem de uma breve crise por conta de um presidente corrupto, até a glória que foi o desempenho das ações norte-americanas entre 2010 e 2020.

Viu a Europa, o “velho mundo”, se desenvolver paralelamente, mas recentemente passando por uma grave crise de dívida pública.

Viu o Japão se tornar o país que mais crescia no mundo se minguar perante à bolha que era.

Viu outros países da Ásia crescerem e depois caírem por conta de práticas econômicas danosas, adotadas pelos governos da época.

Viu as pessoas correrem para a nova moda do momento, que era investir em empresas de internet, apenas para quebrarem a cara logo depois.

Viu grandes empresas, aquelas que eram grandes demais para irem à falência, subestimarem o risco de suas operações, e quebrarem.

Viu de tudo, e mais um pouco.

Como investir na crise?

Nós não fazemos previsões do futuro, não sabemos dizer qual será a pontuação final do Ibovespa em 2023 ou depois, mas de uma coisa eu tenho certeza:

Haverão novas crises.

Vai existir mais alguma bolha no mercado norte-americano. O Ibovespa vai cair 50% em poucos dias. Seus fundos imobiliários vão ficar algum tempo andando de lado.

Isso sempre vai existir. Não dá pra evitar.

Mas, a única coisa que eu quero que você termine esse e-mail sabendo, é da importância do longo prazo. É da importância de você focar naquilo QUE VOCÊ CONTROLA.

Sabe-se lá qual vai ser a cotação do dólar no final do ano, ou qual vai ser o patamar que as taxas de juros vão se estabilizar aqui no país. É impossível saber isso.

Mas, não é porque é impossível saber, que você precisa ficar parado.

Dê uma olhada no gráfico novamente:

crise inflação e investimentos gráfico clube do valor

Eu sei que 40 anos pode parecer muito, mas a verdade é que você vai ter que lidar com o tempo. 

Uma hora vai estar cansado e não poderá (ou não vai querer) mais trabalhar e precisará de uma estabilidade financeira…

Estratégia Bull Bear para investimentos de longo prazo

Seguindo a Estratégia Bull Bear, você teria transformado um investimento inicial equivalente a dez mil reais na época em quase dois milhões de reais hoje – isso, de novo, já descontando a inflação no período.

Esse é o poder do investidor paciente. Esse é o poder do investimento que é verdadeiramente de longo prazo.

Sim, notícias vem e vão, faz parte! Mas você precisa focar naquilo que você controla. Você precisa seguir uma estratégia clara e à risca.

Eu sei como é tentador ouvir opiniões “alternativas”, de que “agora é a hora de investir tudo no exterior”, ou “a renda variável morreu, você precisa levar tudo para a fixa”.

Mas a verdade mesmo é que quem tem resultado de verdade não é o investidor que a cada vento muda de direção, mas sim aquele que segue estratégias claras e tem paciência para de fato executar o seu plano no longo prazo.

Por isso, queremos terminar este artigo deixando um presente para você.

Vamos te oferecer uma conversa gratuita com um de nossos especialistas em investimentos para falar, exclusivamente, sobre as suas estratégias e planos de investimentos. Nessa conversa, vamos entender os seus objetivos e te direcionar para o melhor caminho para alcançá-los. Clique aqui para saber mais.

Por fim, não deixe de conferir os conteúdos gratuitos e continue desenvolvendo a sua educação financeira no instagramyoutube e facebook.