Ninguém investe pensando em perder dinheiro, certo? Mas, em alguns investimentos, a chance de prejuízo é real. Assim, desconhecer a forma de calcular a rentabilidade acumulada da sua carteira pode fazer com que você esteja tendo perdas sem saber.

E entender a rentabilidade dos investimentos nem sempre é uma tarefa fácil. O cálculo pode ficar um pouco mais complexo dependendo do tamanho e da variedade de seu portfólio, da realização de aportes ou retiradas mensais, entre outros fatores.  

Portanto, neste artigo você aprenderá como calcular a rentabilidade acumulada dos seus investimentos e a importância de conhecê-la. Está pronto?

Como calcular a rentabilidade acumulada dos investimentos

O que é rentabilidade?

Rentabilidade é o percentual de remuneração obtido a partir do investimento. Ou seja, o valor que você receberá de retorno por investir em uma aplicação ou ativo financeiro. Conhecê-la é essencial para identificar quais investimentos se adequam aos seus objetivos.

Nesse sentido, existem dois principais tipos de rentabilidade. Confira:

Rentabilidade nominal 

A rentabilidade nominal é aquela que pode ser encontrada no próprio investimento. Geralmente, é uma porcentagem indicando o quanto o seu dinheiro renderá enquanto ele for mantido.

Nos investimentos de renda fixa é possível identificar essa informação antes mesmo de investir. Por exemplo, um título do Tesouro Direito prefixado que tenha a rentabilidade de 7% ao ano. Logo, investir R$ 1.000,00 nele trará um retorno de R$ 70,00 (7%) após um ano. 

Já nos investimentos de renda variável a rentabilidade não é conhecida de imediato, e poderá ser positiva ou negativa ao longo do investimento. Imagine que você compre ações a R$ 20,00 cada. Se o preço dela subir para R$ 21,00 terá rendido 5%. Se cair para R$ 19,00, a rentabilidade será -5%.

Ainda é possível fracionar a rentabilidade nominal em duas formas: a bruta e a líquida. A bruta diz respeito ao percentual sem descontos — como nos exemplos acima. E a líquida é a rentabilidade obtida após o desconto do Imposto de Renda ou outro tributo aplicável ao investimento. 

Rentabilidade real

A rentabilidade real representa o quanto o investimento rendeu depois que a variação inflacionária foi descontada. No mundo dos investimentos ela é bastante relevante, pois mostra ao investidor o montante real de rendimento sobre o seu capital.

Portanto, para obter o ganho real de um investimento é preciso fazer o cálculo abatendo a taxa de inflação do rendimento nominal obtido. Muitos investidores usam o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) como referência, por medir a inflação de produtos e serviços de consumo.

O que é rentabilidade acumulada?

De forma geral, rentabilidade acumulada é o quanto o investimento teve de retorno durante todo o período de investimento. Para isso, é preciso considerar diversos fatores como:

  • o valor inicial investido;
  • a rentabilidade mensal;
  • os juros compostos;
  • eventuais aportes ou retiradas feitas.

Perceba que não é correto realizar somente a soma dos rendimentos obtidos. Se for feito dessa forma, você estará obtendo uma informação equivocada sobre a rentabilidade do investimento.

Por exemplo, imagine o investimento de R$ 1.000,00 que tenha rendido 5% no primeiro mês e 4% no segundo. Se você somar as duas rentabilidades terá o percentual de 9%. No final, isso representaria uma quantia de R$ 90,00, ou seja, um total de R$ 1.090,00.

Contudo, se observado que no primeiro mês a rentabilidade foi de R$ 50,00 (R$ 1.000 + 5% = R$ 1.050,00), e no segundo 4% — sobre o valor de R$ 1.050,00 — a rentabilidade será maior (R$ 1.050 + 4% = R$ 1.092,00). Assim, a rentabilidade correta será de 9,2%.

Isso acontece em razão dos juros compostos — ou juros sobre juros. Os efeitos deles impactam nos investimentos todos os meses. Dessa forma, o montante inicial investido pode aumentar ou diminuir de acordo com os resultados obtidos, novos aportes ou retiradas realizados.

Como calcular a rentabilidade acumulada?

Para melhor entender a rentabilidade acumulada, veja o seguinte exemplo:

MêsDescriçãoRenda fixaRenda variávelTotalVlr. CotaQtd. Cotas
JunhoValor inicial1.000,001.000,002.000,0010020
Rendimento mês0,5%4,5%
Valor final1.000,051.045,002.045,05102,2520
JulhoNovo aporte100,00100,00200,00102,251,95
Valor acumulado1.100,051.145,002.245,05102,2521,95
Rendimento mês0,5%– 6,5%
Valor final1.105,551.070,572.176,1299,1421,95
Rentabilidade junho+ 2,2525%Rentabilidade acumulada+2,2525%
Rentabilidade julho– 3,07%Rentabilidade acumulada-0,86%

Nele, estamos considerando que o investimento inicial foi de R$ 2.000,00, sendo R$ 1.000,00 em renda fixa (com rentabilidade de 0,5% ao mês) e R$ 1.000,00 em renda variável (com rentabilidade de 4,0% naquele mês).

Para realizar o cálculo da rentabilidade acumulada, considera-se um valor de cota dos investimentos. Inicialmente, ele é de livre escolha, já que serve apenas de referência para o cálculo. A utilização do número 100 facilita a conta.

Para saber a quantidade de cotas basta dividir o valor do investimento inicial (R$ 2.000,00) pelo valor das cotas adotado. No nosso exemplo, o resultado foi de 20 cotas. Assim, ele serve de referência ao longo da análise.

Cálculo da rentabilidade acumulada no exemplo

Como calcular a rentabilidade acumulada dos investimentos

Para descobrir o valor da cota no final do mês de junho, o valor final do investimento (R$ 2.045,05) foi dividido pelo número de cotas (20) — o que totalizou 102,25. Depois, é preciso considerar os aportes e a rentabilidade ao longo do tempo.

Ao fazer novos aportes, é preciso incluir a respectiva quantidade de cotas. No exemplo, foram aportados mais R$ 200,00. Isso representa o acréscimo de 1,95 cotas (200 / 102,25 = 1,95), não alterando o valor de cada cota.

No mês de julho, a rentabilidade da renda fixa se manteve em 0,5%, já a de renda variável foi negativa (- 6,5%). Assim, é preciso observar o valor total do investimento no final do mês para recalcular o valor das cotas (2.176,12 / 21,95 = 99,14).

Por fim, para obter a rentabilidade acumulada, foi necessário dividir o valor final da cota (99,14) pelo valor inicial (100) -1. No exemplo, seu valor será de -0,86%. Veja que, se fossem subtraídas as rentabilidades nominais de junho e julho, o valor final seria diferente.

Desse modo, o investidor não teria o correto valor de retorno do recurso investido. Por isso, é importante saber como fazer o cálculo da rentabilidade acumulada do investimento.

Qual a importância de conhecer esse conceito?

Embora possa parecer complexo, saber calcular a rentabilidade acumulada de um investimento é importante para acompanhar sua carteira. Assim, você conseguirá se organizar melhor, seja para fazer novos aportes e retiradas ou diversificar suas escolhas, avaliando os investimentos.  

Você conseguiu aprender como calcular a rentabilidade acumulada de seus investimentos? Então não deixe de levá-la em consideração na hora de investir. Caso precise de ajuda, vale a pena buscar profissionais que possam trazer mais conhecimentos. Quer ter um mentor para começar a investir? Confira nosso programa de mentoria financeira!