Atualmente, a preocupação com um futuro mais sustentável tem se tornado um elemento cada vez mais presente nas tendências do mercado internacional.

Para o mundo financeiro, isso se traduz diretamente em uma oportunidade rica e nova para investir em ações de impacto positivo, buscando dessa forma se adaptar às mudanças que geram os novos hábitos de consumo e de vida em sociedade.

Quando se trata de gerir finanças e diversificar portfólios, tanto os pequenos investidores quanto os grandes fundos levam em consideração diversas questões na hora de escolher para onde dirigir os seus investimentos.

E dentro desse contexto há um fator que está ganhando cada vez mais terreno: o investimento em ações de empresas comprometidas com os critérios Environmental, Social and Governance (ESG).

Mas o que são os critérios ESG e qual é a sua importância no setor dos investimentos? Fique comigo neste artigo, que eu vou lhe explicar.

A abreviação em inglês de Environmental, Social and Governance (ESG) se refere à adoção de critérios ambientais, sociais e de governança, que são um conjunto de padrões de desempenho de sustentabilidade e impacto social de uma empresa. Este conjunto pode ser dividido em três fatores:

esg

Fator ambiental

O fator ambiental diz respeito à influência da empresa sobre o ambiente que a cerca e à sua capacidade de mitigar as suas externalidades negativas.

Alguns dos critérios utilizados para avaliar uma empresa neste sentido estão estreitamente atrelados à sua utilização de energia, produção de resíduos, nível de poluição produzida, utilização de recursos e tratamento de animais. 

As políticas ambientais de uma empresa e a sua capacidade de mitigar os riscos ambientais podem influenciar diretamente no seu desempenho financeiro, pois o perfil do consumidor das novas gerações têm mudado drasticamente, e hoje a preocupação com o meio ambiente é mais relevante e urgente que nunca para milhões de indivíduos.

Fator social

O fator social tem em conta as relações da empresa com outras empresas e com as comunidades locais. Nele, é considerada a atitude da companhia em relação à diversidade, aos direitos humanos e à proteção dos consumidores

Fator de governança corporativa

A governança corporativa pode-se traduzir em um conjunto de regras que regem a estrutura do órgão de direção de uma empresa e as suas relações com os seus colaboradores, incluindo os seus empregados e acionistas.

Este fator diz sobre a forma em que a empresa trata seus funcionários, o controle e prevenção da corrupção, e a transparência da companhia, por exemplo. 

Uma governança empresarial adequada e transparente pode ajudar a evitar conflitos de interesses entre as partes interessadas, melhorando, além disso, o nível de vida dos seus colaboradores e as condições que podem atrair e reter empregados com um alto potencial.

Como surgiram os critérios ESG

Em 2004, uma publicação do Banco Mundial em parceria com o Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU) e instituições financeiras de 9 países — intitulada Who Cares Wins (Ganha quem se importa) — cunhou pela primeira vez o termo, estabelecendo as bases do que hoje chamamos de investimento sustentável

Nos seus primórdios, o investimento em empresas preocupadas com a sustentabilidade surgiu como um nicho de mercado centrado em evitar empresas cujo desempenho era insatisfatório, e em atribuir capital a companhias que procuravam mudanças sociais e ambientais concretas. Hoje em dia, o investimento nos critérios ESG está aumentando exponencialmente. 

De acordo com relatórios recentes da PwC, os fundos de ações ESG terão uma taxa de crescimento anual de 26,8%, e os ativos devem quadruplicar para mais de 3,6 trilhões de euros até 2025, o que representa um crescimento sólido a médio e longo prazo.

A aceleração deste tipo de investimentos tem sido impulsionada pelo aumento da preocupação dos consumidores pelo impacto mais abrangente que causam as empresas, bem como pelos investidores e executivos que percebem, da mesma forma, que uma forte proposta ESG pode salvaguardar o sucesso de uma empresa a longo prazo.

A magnitude do fluxo de investimento sugere que os critérios ESG são muito mais do que uma moda ou um exercício de bem-estar. 

O mesmo se aplica ao nível de desempenho empresarial. Inúmeras pesquisas demonstram que as empresas que prestam atenção às questões ambientais, sociais, e às preocupações com a governança não perdem vantagens quando trata-se de geração de capital — tudo pelo contrário.

Uma forte proposta de critérios ESG correlaciona-se com rendimentos econômicos mais elevados e, de forma geral, também corresponde a uma redução do risco de investimento.

Do ponto de vista financeiro, os fundos focados na sustentabilidade atingiram a marca de 1 trilhão de dólares em 2020, de acordo com um levantamento da Morningstar.

Empresas multinacionais como a Black Rock, que é hoje um dos maiores grupos de investimentos do mundo, já estão dedicando grande parte do seu capital ao investimento no futuro sustentável, se adequando às novas mudanças na forma em que os usuários interagem com os produtos e com o meio ambiente.

E no Brasil, os fundos que seguem os padrões ESG dobraram de tamanho no último ano e chegam a 1 bilhão de reais, segundo um relatório da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), marcando dessa forma o futuro deste tipo de ações no país.

Principais razões para investir levando em conta os critérios ESG

investimento em esg

1. Conciliar investimentos com valores pessoais

Se você for particularmente sensível a questões ambientais, sociais e de governança empresarial, o investimento sustentável em ações de empresas preocupadas por esses critérios pode ajudar a alinhar sua carteira de investimentos com aquilo em que você acredita. 

Com investimentos focados em critérios ESG, é possível minimizar qualquer conflito entre geração de riqueza e ideais enquanto prossegue uma estratégia diversificada e consistente que lhe permite alcançar os seus objetivos a longo prazo.

Os investimentos sustentáveis também lhe proporcionarão a oportunidade de apoiar setores e áreas de interesse para si, incluindo energias renováveis, eco-tecnologia, aplicações de tecnologia de baixo ou zero carbono, educação ou saúde. 

Ao investir em empresas que são exemplares nas suas práticas corporativas cotidianas, você pode expressar o seu apoio para o futuro que deseja.

2. Diversificar a sua carteira de investimentos

Ao incorporar fatores ESG, você pode construir uma carteira de investimentos que irá se manter estável durante as novas mudanças no mercado em direção a um futuro verde, limitar os riscos não financeiros e identificar oportunidades únicas

À medida que o mundo muda, as estratégias de responsabilidade corporativa com o mundo tornam-se um instrumento adequado para os investidores se adaptarem às novas formas de relacionamento entre empresas, consumidores e o planeta. 

3. Menores riscos

As empresas que adquirem políticas socialmente responsáveis também tornam-se, de forma progressiva, muito maiores, porque os riscos que correm são um pouco menores em relação a outras empresas. De fato, em períodos de crise, os fundos focados em critérios ESG tendem a sofrer impactos menores do que outros fundos.

4. Maior atração de consumidores das novas gerações

Hoje, a enorme maioria dos consumidores prefere colocar seu capital em empresas que trabalham por um propósito, já seja ambiental ou social. Por isso, negócios de alto posicionamento em questões de ESG podem chamar muito mais a atenção de usuários ativos no mercado, tornando o investimento nesse tipo de negócios muito mais promissor em relação a outros.

E com isso me despeço por hoje. 

Espero que este artigo tenha ajudado você a compreender melhor a importância do investimento em ações de empresas preocupadas com os critérios ESG. Bom investimento!