O que é Renda Variável: Vale a Pena? Quais são os Riscos? Tudo o que Você Precisa Saber Antes de Investir

O que é renda variável?

O que é renda variável?

Você sabe responder a essa pergunta?

Neste artigo, eu vou tentar explicar exatamente o que é renda variável e como você pode investir nessa modalidade de investimento.

Em posse dessa informação, tenho certeza que você terá maior capacidade de tomar melhores decisões financeiras na sua vida.

Além de explicar o que é renda variável, também vou compartilhar a classificação que nós utilizamos para essa classe de ativo, as vantagens e desvantagens, e a diferença entre renda fixa e renda variável.

Parece interessante para você?

Então continue a leitura para aprender tudo sobre esse assunto!

Bolsa de valores ou renda fixa? O que rendeu mais no Brasil?

Clique no botão abaixo e tenha acesso ao estudo completo que compara a rentabilidade da bolsa de valores com a rentabilidade da renda fixa no Brasil

O QUE É RENDA VARIÁVEL?


O que é renda variável?

A definição de renda variável é simples.

Trata-se de uma classificação dos ativos cujo retorno não pode ser dimensionado no momento da aplicação.

Esse conceito é diametralmente oposto ao de renda fixa.

Nos ativos de renda fixa, a regra de remuneração é conhecida e definida antes da aplicação.

Isso inclui aspectos como o prazo de investimento e a base de cálculo para a remuneração.

Essas são características que não estão claras e definidas em ativos de renda variável.

É por isso que muitos investidores consideram os ativos dessa classe como sendo de alto risco ou apenas para aqueles de perfil agressivo.

É verdade que esses investimentos representam um risco maior quando comparado aos ativos de renda fixa.

Mas isso não significa que eles sejam necessariamente “perigosos” para a saúde financeira do investidor.

Muito pelo contrário!

Existe até mesmo um paradoxo envolvendo os investidores com perfil conservador.

Além disso, a questão da volatilidade dos preços dos ativos de renda variável interfere na sua possibilidade de ganhos.

No vídeo a seguir, eu explico como são compostos os preços das ações:

Por isso, é importante não confundir incerteza com insegurança.

Só porque não conhecemos ou controlamos todos os aspectos de investimentos de renda variável, isso não significa que seja perigoso investir neles.

Conhecer bem um ativo é o primeiro passo para começar a investir nele.

E esse conhecimento é exatamente o que você vai obter neste artigo.

RENTABILIDADE DOS ATIVOS DE RENDA VARIÁVEL


O que é renda variável?

Como dito anteriormente, o retorno dos ativos de renda variável é imprevisível.

É por isso que essa classe realmente não é recomendada para quem não tem muita tolerância ao risco.

A variação no preço de alguns ativos de renda variável pode ser bastante grande, o que chamamos de volatilidade (o famoso “zig-zag”).

Apesar de ser impossível definir a rentabilidade previamente, é possível elencar alguns fatores que influenciam o retorno desses investimentos.

Eis alguns:

  • Expectativa do mercado
  • Desempenho das empresas
  • Oferta e procura
  • Taxa de juros
  • Câmbio
  • Inflação
  • PIB

É importante destacar que esses são apenas alguns fatores que influenciam o retorno dos ativos de renda variável.

Muitos outros aspectos podem impactar no preço e na rentabilidade dos investimentos da classe.

OS ATIVOS DE RENDA VARIÁVEL


O que é renda variável?

Para ajudar na definição de renda variável, nada melhor do que entender quais são os ativos que compõe essa classe.

Os principais e mais conhecidos são:

  • Ações
  • ETFs (Exchange Traded Fund)
  • Fundos Imobiliários
  • Fundos de Ações
  • Fundos Multimercado
  • Fundos Cambiais
  • Clubes de Investimentos
  • Opções
  • Mercado Futuro
  • Commodities
  • Câmbio
  • Derivativos
  • Imóveis

Alguns especialistas podem ainda incluir outros ativos nessa classificação, como as criptomoedas.

Porém, os listados acima são os principais e os mais conhecidos.

CLASSIFICAÇÃO DE RENDA VARIÁVEL

O que é renda variável?

Não existe uma classificação oficial de renda variável.

A própria B3 não divide os ativos da classe em categorias.

Porém, enxergá-los de forma segmentada pode ajudar muito, principalmente se você segue uma estratégia de investimentos.

E se você não faz isso ainda, deveria fazer!

Em nosso serviço de gestão profissional de investimentos, utilizamos uma classificação que facilita a diversificação e a redução dos riscos atrelados aos investimentos em renda variável.

A classificação que utilizamos para uma diversificação inteligente é:

  • Ações Brasil
  • Ações EUA
  • Fundos Imobiliários

Ações Brasil

Como o nome sugere, os ativos da classe Ações Brasil são os investimentos atrelados às empresas brasileiras.

Dentro dessa categorização, podemos incluir:

  • Ações
  • ETFs
  • Opções
  • Derivativos

Porém, como a nossa filosofia preza o longo prazo e desconsidera a especulação financeira, o melhor é se limitar aos dois primeiros itens da lista.

O objetivo dessa classe é expor o seu capital ao crescimento e desenvolvimento de empresas brasileiras.

Ações EUA

Para uma boa diversificação, é essencial incluir essa classe de ativos em sua carteira de renda variável.

“Ações EUA” é a classe composta por ações de empresas estrangeiras.

Trata-se de uma forma de atrelar os seus investimentos a uma moeda forte, especialmente de países desenvolvidos.

O nome da categoria faz referência ao país norte-americano porque é muito fácil investir nos Estados Unidos através da nossa própria bolsa de valores.

Existem fundos de investimentos cuja carteira está custodiada nesse país.

Para aprender mais a respeito desse assunto, recomendo a leitura deste artigo para aprender a investir no exterior, mesmo com pouco dinheiro.

Fundos Imobiliários

Para fechar a tríade de renda variável, temos os fundos imobiliários.

E eu sou fã de carteirinha dessa classe de ativos.

Afinal, estamos falando da melhor forma de se investir em imóveis.

O método mais “barato”, acessível e com melhor potencial de retorno, especialmente quando comparado ao investimento tradicional no mercado imobiliário.

Com apenas algumas poucas centenas de reais, é possível montar uma diversificada carteira de fundos imobiliários.

Como consequência, obtém-se uma grande diversificação para a carteira global.

Leia este artigo onde ensino a investir em imóveis, mesmo com pouco dinheiro, caso queira saber mais sobre o assunto.

A classificação dos ativos de renda fixa

Caso você tenha ficado curioso sobre como nós classificamos os ativos de renda fixa, eis a nossa categorização:

  • Renda Fixa Pós-fixada
  • Renda Fixa Prefixada
  • Renda Fixa Atrelada à Inflação

Caso queira aprender mais a respeito dessa nossa classificação, recomendo a leitura deste artigo.

VANTAGENS E DESVANTAGENS DA RENDA VARIÁVEL


O que é renda variável?

Como qualquer ativo do mercado financeiro, os investimentos de renda variável possuem vantagens e desvantagens.

Entender cada um desses pontos é importantíssimo e faz parte da construção de conhecimento a respeito desse assunto.

Porém, em se tratando de renda variável, pontos positivos podem ser encarados como negativos (e vice-versa) dependendo da sua visão.

É preciso ter uma visão crítica e entender como cada um dos pontos a seguir se aplicam a você.

Foco no longo prazo

De acordo com a nossa filosofia de investimento, renda variável é uma classe que deve ser encarada como favorável para objetivos de longo prazo.

Essa é uma vantagem?

Certamente é para aqueles que possuem objetivos de longo prazo.

Porém, algumas pessoas (em especial os especuladores) enxergam a renda variável como uma oportunidade de ganhos no curto prazo.

Portanto, tudo vai depender da sua visão de mercado e de seus objetivos.

Nós abominamos o investimentos em curto prazo para especulação ou para objetivos de curto prazo.

Então, tenha muita clareza do seu horizonte temporal antes de investir.

Facilidade de investir

Investir em renda variável, mais especificamente através da bolsa de valores, é relativamente simples.

Boa parte dos investidores se preocupa com a parte operacional do processo, aquele momento da emissão de ordem de compra e venda de ativos.

Na minha opinião, essa é a parte mais fácil de se investir em renda variável.

O difícil é encontrar uma boa estratégia de investimento e segui-la rigorosamente.

É dessa forma que se obtém sucesso no mercado de ações no longo prazo.

Riscos elevados

Os ativos de renda variável são, em sua essência, ativos de risco.

Essa é uma consequência direta do potencial de retorno, que é mais elevado quando comparável aos ativos de renda fixa.

Por conta disso, alguns investidores são avessos ao investimento nessa classe.

Esses são aqueles que não suportam o risco ou que possuem uma baixíssima tolerância ao risco.

Porém, para os investidores que toleram o risco, essa é uma ótima oportunidade de investimento.

Essa é uma daquelas características que pode ser encarada como ponto positivo ou negativo, dependendo da sua visão.

Diversificação de investimento

A despeito do aumento de risco, investir em ativos de renda variável é uma ótima forma de diversificar seus investimentos.

Isso é ainda mais válido se levarmos em conta que há ativos cuja rentabilidade está inversamente ligada a outros ativos do mercado.

Ou seja: alguns investimentos se beneficiam da baixa de outros ativos, proporcionando uma forma de proteção nesses cenários.

Isso permite a construção de carteiras que fiquem relativamente “blindadas” em momentos de crise, o que é muito vantajoso para o investidor.

RENDA VARIÁVEL VS. RENDA FIXA


O que é renda variável?

Além de entender os pontos que podem ser encarados como positivos e negativos nos ativos de renda variável, é importante entender a diferença entre essa classe e a renda fixa.

É por isso que, a seguir, listo as principais características de cada uma dessas classes.

Dessa forma, você poderá comparar cada uma delas e entender as suas diferenças.

Renda variável

  • Alto risco
  • Maior potencial de retorno
  • Retorno imprevisível
  • Exige estudo aprofundado
  • Investimento complexo com muitas variáveis
  • Indicado para investidores de todos os tipos, desde que com visão de longo prazo
  • Sem garantias
  • Grande variedade de empresas e setores diferentes para se investir

Renda fixa

  • Baixo risco
  • Menor potencial de retorno
  • Retorno previsível
  • Exige pouco estudo aprofundado
  • Investimento simples com menos variáveis
  • Indicado para investidores de todos os tipos e com todos horizontes temporais possíveis
  • Garantia do FGC em alguns ativos
  • Baixa variedade de empresas e setores diferentes para se investir

RENDA VARIÁVEL VALE A PENA?

Investir em renda variável certamente é uma ótima forma de aumentar a expectativa de retorno dos seus investimentos e diversificar a sua carteira.

É lógico que a classe também oferece seus riscos, algo que é inerente da renda variável.

Portanto, é preciso estudar bastante antes de se aventurar nesse mercado.

Porém, diferente de várias respostas que eu já dei na seção “vale a pena” de alguns artigos, aqui a resposta é categórica:

Certamente vale a pena investir em renda variável, mais especificamente em ações, ETFs e fundos imobiliários.

Essas são, inclusive, as três classes nas quais dividimos a renda variável.

Por isso, acreditamos que uma boa estratégia de investimento para o longo prazo deva, sim, contemplar ativos de renda variável.

Isso também vai depender de seus objetivos financeiros (e da sua tolerância ao risco), mas lembre-se,novamente, do paradoxo do investidor conservador.

CONCLUSÃO: A IMPORTÂNCIA DA RENDA VARIÁVEL

O que é renda variável?

E assim chegamos ao final de mais um artigo do Clube do Valor.

Nos últimos parágrafos, você teve a oportunidade aprender o que é renda variável, quais são os ativos que pertencem a essa classe, a classificação que utilizamos em nosso serviço de gestão e as vantagens e desvantagens dessa classe.

Também é importante destacar a diferença entre renda fixa e renda variável, algo que pode ser determinante para a decisão de se investir em um ativo ou outro.

Se você se interessa pelo assunto, mas ainda não está muito confiante para fazer o seu primeiro investimento, eu te convido a conhecer um material especial que preparamos para você.

Trata-se de um estudo completo que compara a rentabilidade histórica da bolsa de valores (renda variável) com o retorno da renda fixa.

O resultado vai te surpreender!

Bolsa de valores ou renda fixa? O que rendeu mais no Brasil?

Clique no botão abaixo e tenha acesso ao estudo completo que compara a rentabilidade da bolsa de valores com a rentabilidade da renda fixa no Brasil

Eu vou ficando por aqui.

Um forte abraço,

Ramiro Gomes Ferreira.

O que é Renda Variável: Vale a Pena? Quais são os Riscos? Tudo o que Você Precisa Saber Antes de Investir
5 (100%) 2 votes