Ah, os Brazilian Depositary Receipts, ou os famosos BDRs!

Uma forma de investir em ações no exterior direto daqui do Brasil que está ganhando muita popularidade e adeptos recentemente!

Mas será que vale a pena investir em BDR?

Será que você deve colocar parte de seu patrimônio nesse investimento, ou é melhor investir no exterior de outra forma?

No artigo de hoje, vou falar mais sobre BDRs, e sobre suas vantagens e desvantagens!

Inclusive, vou falar de um risco oculto sobre BDRs que é muito importante, mas que ninguém te conta!

E, no final, vou falar se, na nossa opinião, vale a pena investir em BDRs ou não!

Então acompanha com atenção este artigo para entender tudo sobre este investimento!

O QUE SÃO OS BDRs?

Se você quiser uma explicação mais detalhada do funcionamento dos BDRs, esse artigo que o pessoal da SUNO Research fez pra gente pode ser uma boa pedida!

Porém, para fins deste artigo, vou dar uma breve explicação do funcionamento deste investimento!

BDR é a abreviação de “Brazilian Depositary Receipts”, ou Recibos de Depósitos Brasileiros. 

Eles são basicamente certificados que representam ações emitidas por empresas em outros países.

Nessa modalidade de investimento, o investidor compra, aqui no Brasil, através de seu Home Broker, “títulos” ou “certificados” que representam uma ação estrangeira como se fossem ela, mas não sendo ela de fato.⁠

Esses “títulos” são vendidos por uma empresa depositária que compra as ações estrangeiras de fato (normalmente um banco, como Itaú, Santander ou a própria B3)

Esta empresa financeira, então, disponibiliza para investidores brasileiros papéis que têm como “lastro” essas ações estrangeiras!⁠

Ou seja, é uma forma de investir em uma empresa estrangeira diretamente daqui do Brasil, em reais, através de uma empresa facilitadora deste processo.

BDRs são, assim, uma forma facilitada de investir em ações do exterior de forma discricionária.

Esses certificados são negociados na B3 (normalmente) com os códigos 32, 33, 34 ou 35, e podem ser de dois tipos:⁠

Patrocinados: Quando a empresa estrangeira à qual o título se refere solicita à instituição financeira brasileira que os gere e disponibilize.

Não Patrocinados: Quando não há nenhum acordo formal entre a empresa e a instituição depositária.⁠

Certo. Agora que você já tem uma noção melhor de o que são os BDRs e como eles funcionam, você deve estar se perguntando se vale a pena investir em BDRs.

E, para responder esta dúvida, vou começar falando sobre as vantagens que os BDRs podem trazer para você!

QUAIS AS VANTAGENS DE SE INVESTIR EM BDRs?

Vantagens

É um fato: os BDRs são um investimento popular e, desde que foram liberados para todos os investidores da B3 em 22 de outubro de 2020, essa popularidade só aumentou.

Mas por quê?

Certamente é porque os BDRs oferecem muitas vantagens a quem quer investir parte de seu patrimônio em empresas do exterior.

Primeiramente, as compras dos BDRs podem ser feitas em reais, em sua própria corretora, como você já faz com ações brasileiras, o que facilita muito este processo.⁠

Isso mesmo: sem ter que abrir uma conta em uma corretora no exterior, sem ter que fazer remessas internacionais, sem pagar IOF nem nada desse tipo.

É uma forma simples de investir em empresas gigantes, como Facebook (FBOK34), Nike (NIKE34), Disney (DISB34), Mercado Livre (MELI34), Alibaba (BABA34), Amazon (AMZO34), Tesla (TSLA34) e muitas outras.

Quando você investe em BDRs, o seu dinheiro fica custodiado no Brasil, o que também é um bônus.

Além disso, outra vantagem do BDR é que ele te ajuda a fugir da alta tributação sobre herança que incide sobre investimentos diretos nos EUA.

Se um investidor não residente nos EUA tem mais de US$ 60.000 em ações americanas e vem a falecer, sua família pagará entre 18% e 40% de imposto sobre sua herança.

Com BDRs, isso não ocorre.

Mas quais as desvantagens de se investir em BDRs?

Se tem tantos lados bons, deve ter alguns ruins também, não é?

Sim, há desvantagens nesse investimento, e vou falar mais delas a seguir!

QUAIS AS DESVANTAGENS DE SE INVESTIR EM BDRs?

Desvantagens

Apesar de BDRs oferecerem várias vantagens a investidores que desejam investir parte de seu patrimônio no exterior, nem tudo é um mar de rosas.

Esse investimento possui alguns lados negativos, e alguns que nem são muito comentados, mas que importam MUITO!

O primeiro lado negativo desse investimento é que ainda há poucas opções de BDRs quando comparadas ao número de empresas nos EUA.⁠

Também há o imposto sobre eles: assim como para ações, a alíquota utilizada é de 15% para operações normais, e 20% para day trade. ⁠

Porém, há um detalhe importante: diferentemente de ações, isentas até R$ 20.000 de lucro/mês, para BDRs NÃO EXISTE ISENÇÃO. ⁠

Se você efetuou uma venda com lucro, precisa pagar imposto, independentemente do montante financeiro vendido.⁠

Além disso, os rendimentos recebidos são tributados de acordo com uma tabela progressiva de IR.⁠

Essa tabela começa em 0% de IR (se a soma dos rendimentos que você receber for de até R$ 1.903,98 em um único mês) e vai até 27,5% (se você recebeu mais de R$ 4.664,68 em um único mês).⁠

Porém, o mais importante para nós é que, os BDRs existentes possuem uma liquidez abaixo do ideal para nossos padrões.⁠

Apesar de isso estar mudando recentemente, com a liberação deles para todos os investidores, ainda há poucas opções e pouca liquidez neste mercado no momento.

Mas você pode estar pensando: “Ah, mas isso de liquidez não importa, eu sou um investidor pessoa física, compro e vendo pouco…”

Mas isso é o risco oculto mais importante dos BDRs, por causa de uma entidade do mercado: os “market makers”.

Olha o gráfico abaixo, que mostra a comparação entre a rentabilidade das ações da Apple em reais (vermelho), com a rentabilidade do BDR APPL34 (amarelo).⁠⁠⁠

Você pode ver que elas são quase a mesma coisa, ficando uma em cima da outra em boa parte do gráfico.⁠⁠⁠

Isso é porque a Apple tem um dos BDRs mais negociados (líquidos) do Brasil, o que contribui para que seu resultado seja quase igual ao das ações da empresa em si.

Porém, quando não há tantas negociações de um ativo, muitas vezes o spread, ou seja, a diferença entre o preço de compra e venda, pode influenciar muito na rentabilidade de longo prazo dele.⁠⁠⁠

Além disso, profissionais do mercado fazem o papel de “market makers” para esses ativos, comprando-os e vendendo-os para “criar um mercado” de um BDR pouco negociado.⁠⁠

Isso pode parecer uma grande ajuda, não é?

Alguém que compra um BDR pouco negociado quando você precisa vender, e o vende para você quando você quer comprá-lo?

Mas é claro que eles não fazem isso de graça: eles compram os BDRs por um pouco menos do que eles valem, e os vendem por um pouco mais.⁠⁠

Em um BDR menos líquido, a diferença gerada por isso fica evidente.⁠⁠

Olha no gráfico abaixo, as ações da Nike em reais (amarelo) em comparação com o BDR NIKE34 da empresa (verde):

Isso é dinheiro que você não ganha, pois paga mais caro na hora de comprar e cobra menos na hora de vender, por causa dos poucos negócios de vários BDRs.⁠⁠⁠

É um ponto muito importante deste investimento que ninguém te conta.

Porém, pesando as vantagens e desvantagens dos BDRs que eu mencionei, será que vale a pena investir em BDR ou não? Continue lendo para descobrir!

VALE A PENA INVESTIR EM BDRs?

3-mestres-do-capitalismo

Certo. Se você chegou até aqui no artigo, já sabe que existem alguns lados muito bons e outros muito ruins do investimento em BDR.

Por um lado, eles são uma forma simples, em reais e sem IOF de investir em ações do exterior sem ter que pagar um enorme imposto sobre herança nos EUA para isso.

Pelo outro, eles ainda possuem poucas opções, com pouca liquidez, o que te deixa à mercê de “market makers” que ganham dinheiro com operações de BDRs com pouca liquidez, o que tira sua rentabilidade.

Mas no final de contas, será que vale a pena investir em BDRs ou não?

Na nossa opinião aqui no Clube do Valor, no momento não.

Apesar de ser uma forma interessante de investir de forma discricionária em ações do exterior, a falta de opções e de liquidez tornam os BDRs inviáveis para nós.

Por serem poucas empresas, não podemos aplicar nosso método baseado no Value Investing para encontrar as opções de ações mais descontadas.

Essa é a técnica que usamos no nosso Fundo de Investimento em Ações, e é o método que gostaríamos de usar para ações americanas caso fossemos comprá-las individualmente.

Além disso, a liquidez ainda teria que subir muito para nos sentirmos confortáveis investindo em BDRs.

Mas então, como nós investimos no exterior

Continue lendo para descobrir!

COMO INVESTIR NO EXTERIOR?

gestão de investimentos - avalie o investimento no exterior
gestão de investimentos – avalie o investimento no exterior

Apesar dos BDRs serem um investimento interessante que torcemos que ganhe popularidade no Brasil, no momento não é assim que fazemos nossa diversificação internacional no Clube do Valor.

Preferimos fazer esse investimento através de Fundos de Índice, ou ETFs.

Essa é, inclusive, parte importante de nossa Estratégia Bull Bear de Investimentos, que ensinamos no curso Minha Primeira Carteira de Ações, e que é ideal para quem quer começar na Bolsa, mesmo com pouco dinheiro!

Você pode conhecer melhor este curso introdutório às ações apertando neste link!

Ficou alguma dúvida? Não esquece de deixá-la nos comentários abaixo!

E, com isso, me despeço por hoje!

Um forte abraço e bons investimentos!

Antonio Stein