O rápido crescimento que as ações da Magazine Luiza (MGLU3) atingiram nos últimos anos tem chamado a atenção dos investidores na Bolsa de Valores. Com mais de seis décadas de atuação no mercado varejista, a empresa tem se destacado como uma opção bastante interessante para aplicação em renda variável.

Cada vez mais focada em um amplo portfólio de produtos, fundamentalmente por meio de seu marketplace e de outros serviços, a empresa encontra-se no seu mais alto patamar das últimas décadas, chegando a ser considerada atualmente a sexta maior companhia da Bolsa, com um valor maior do que R$ 116 bilhões

Neste artigo, vamos explicar como se deu a valorização exponencial da Magazine Luiza através dos anos e qual é a nossa opinião sobre investir ou não nessas ações. Veja mais!

Histórico da empresa

MGLU3: É rentável investir nas ações da Magazine Luiza?

A história da varejista começou em 1957, como uma loja de presentes estabelecida em Franca, no interior de São Paulo. 

Durante os anos, a empresa foi marcada por ciclos bem definidos. No entanto, a expansão da companhia só iniciou duas décadas após a sua fundação. Em 1976 a empresa adquire as Lojas Mercantil, e a partir desse momento inicia uma potente evolução comercial. Essa estratégia possibilitou posteriormente a abertura das primeiras filiais na região, assim como uma maior diversificação dos produtos oferecidos.

Em 1991, Luiza Helena Trajano assume a presidência da companhia, moldando o seu perfil estratégico e tornando-a mais próxima da que conhecemos na atualidade. Na época, os acionistas começaram a ser organizados na holding LTD, e priorizou-se aos poucos o investimento na inovação, possibilitando a informatização das suas lojas com a explosão da World Wide Web.

Nove anos depois, a Magazine Luiza lançou oficialmente um site próprio para comercialização de seus produtos, o qual tornou a empresa uma das pioneiras do e-commerce no País. 

Já com uma maior abrangência nacional, em 2011 a companhia entrou finalmente na Bolsa de Valores em 2011, e a chegada da Magazine Luiza na B3 transformou-a numa referência de crescimento no país, aumentando seu valor de mercado.

Contudo,  eventualmente a crise econômica de 2014 atingiria fortemente a empresa. E entre 2011 e 2015, a MGLU3 chegou a se desvalorizar em até 93,52%.

E o ciclo da transformação digital chegou. Em 2015, muitas empresas de todo o planeta viraram seus processos maioritariamente para o mundo digital, priorizando a experiência virtual do consumidor. O Brasil não ficou para trás.

Nesse mesmo ano, a varejista lançou seu próprio aplicativo para celular Magalu, com o fim de personalizar a experiência do usuário e facilitar as compras online, o qual aumentou, de fato, o engajamento dos novos consumidores, disparando as vendas.

E nos últimos anos não parou de crescer. A Magalu não parou de investir em inovação e passou a comprar empresas que possibilitaram tornar as suas operações cada vez mais digitais e multiplicar os produtos oferecidos.

Hoje, a lista de aquisições da Magazine Luiza abrange desde empresas de varejo eletrônico, como Estante Virtual, Netshoes e Época Cosméticos, até sites especializados na produção de conteúdo, como Canaltech, Jovem Nerd e Steal The Look.

Ações da Magazine Luiza

A Magazine Luiza possui ações ordinárias que são negociadas na bolsa sob o código (MGLU3).

Essas ações da empresa conferem aos detentores o direito a voto em assembleias, ou seja, possibilita o direito de participação dos acionistas nas tomadas de decisões da empresa.

De igual forma, os investidores que colocam o seu capital na Magazine Luiza possuem o direito ao recebimento de proventos, que são distribuídos pela companhia em forma de Juros sobre Capital Próprio ou Dividendos.

Valorização da empresa

MGLU3: É rentável investir nas ações da Magazine Luiza?

As ações da MGLU3 tiveram um salto muito significativo na sua valorização nos últimos anos. Somente entre o período de 2016 a 2019, esse crescimento atingiu mais de 18.000%, tendo uma das maiores altas da B3 na atualidade. 

Hoje, o preço alvo estabelecido por grande parte dos analistas para as ações do Magazine Luiza é R$26,00, sendo que o banco Safra chegou a realizar a classificação de compra para Magazine Luiza (MGLU3) com preço-alvo de R$32 em maio deste ano. 

Durante a pandemia, o valor das ações da MGLU3 chegou a cair, como aconteceu com grande parte das empresas dos mais diversos setores do mercado, sendo valorizada em R$14,60 em fevereiro de 2020, e caiu para menos de R$7,00 em março desse mesmo ano.

Mas, apesar disso, o aumento das vendas de e-commerce durante o período de quarentena também fizeram com que a empresa tivesse uma recuperação rápida e estável. Inclusive, ao final do ano passado, sua valorização já tinha atingido R$25,00 por ação.

Participação na Ibovespa

Como já comentamos anteriormente, a Magazine Luiza é uma empresa small cap, mas, além disso, ela também faz parte do índice Ibovespa. Esse indicador, que é mais conhecido como IBOV, é considerado a referência da bolsa de valores brasileira, já que representa o desempenho das ações mais negociadas nela.

Como os resultados do IBOV funcionam como uma espécie de medidor do desempenho do mercado, o indicador também serve como benchmark para os investidores, agindo como referência para entender o desempenho das carteiras de investimentos. 

Dividendos da MGLU3

MGLU3: É rentável investir nas ações da Magazine Luiza?

Um dos maiores atrativos do investimento nas ações da Magazine Luiza — em conjunto com o lucro obtido através da venda de ativos por um preço maior que o de compra — são os dividendos distribuídos pelas ações..

Para recompensar os seus investidores, assim como para atrair um maior capital futuro e valorizar as suas ações no mercado, as empresas utilizam a distribuição de dividendos e Juros sobre Capital Próprio com uma periodicidade específica

Segundo o Estatuto Social da Magazine Luiza, o pagamento de dividendos pela empresa é obrigatório aos acionistas, e deve ser de ao menos 15% sobre o lucro líquido da companhia, pelo qual podemos considerar que as ações da varejista costumam gerar bons dividendos para seus acionistas. 

É interessante destacar que apenas entre 2017 e 2020, a MGLU3 rendeu aos seus investidores um crescimento maior do que 6000% de suas ações.

Afinal, vale a pena investir nas ações da Magazine Luiza?

Agora vem a pergunta que não quer calar: Será que vale a pena investir nas ações MGLU3?

Bom, considerando o que falam especialistas do mercado, é possível afirmar que a tendência futura é que a Magalu foque em mais investimentos e aquisições de empresas de diversos setores nos próximos anos, com estimativa de crescimento anual de ao menos 20%

Hoje é possível considerar as ações dessa empresa como caras, em comparação com as de outras empresas que podem ser igualmente rentáveis e com um custo muito mais razoável. Contudo, ainda é possível receber bons retornos dessas ações.

Aqui, no Clube do Valor, aconselhamos que você decida sempre tendo em conta o seu plano de investimento e as suas expectativas de longo prazo.

Gostou do nosso conteúdo? Então leia o nosso artigo sobre dividendos e entenda mais sobre o que são, como são calculados e como você pode viver deles!