Entender as particularidades dos investimentos da bolsa de valores ajuda o investidor a escolher os ativos que mais condizem com seu perfil e objetivos financeiros. Além disso, permite conhecer melhor os tipos de ações disponíveis no mercado.

É interessante saber que os papéis das companhias podem ter características variadas. Por isso, é recomendado compreender como funciona cada ação e como identificar de qual tipo se trata. Assim, você toma decisões com mais segurança na hora de aportar seus recursos.

Você busca mais conhecimento sobre investimento em renda variável? Então acompanhe este post e descubra os principais tipos de ações do mercado!

Conheça os tipos de ações disponíveis na bolsa de valores

O que são ações?

Para que você conheça os tipos de ativos, é importante entender o conceito de ações. Trata-se de frações de companhias que abriram seu capital na bolsa de valores para obter recursos externos. Desse modo, o investidor vira acionista ou sócio ao comprar parte do capital social da empresa.

Ele pode adquirir uma parte maior ou menor da companhia, de acordo com a quantidade de ações que compra. É necessário entender, ainda, que o investidor pode participar de maneiras diferentes da empresa, de acordo com os tipos de ações que ele detém.

Não é novidade que esses papéis atraem a atenção pela possibilidade de retorno que podem oferecer. O rendimento obtido pode ser resultado da valorização das ações da companhia ou pode vir do recebimento de proventos — como os dividendos (parcela dos lucros que é repartida com os sócios).

No entanto, apesar dessa perspectiva de lucro, é preciso ter em mente que esse é um investimento que envolve maiores riscos. Isso porque a empresa pode, por exemplo, perder espaço no mercado e ter suas ações desvalorizadas — ou até mesmo ir à falência.

Assim, é importante conhecer seu perfil de investidor e objetivos, a fim de identificar se o investimento em ações é adequado às suas necessidades e preferências.

Quais são os tipos de ações da bolsa?

Agora que você já entendeu o conceito de ações, precisa conhecer as classes de papéis que pode escolher no momento de aportar seu dinheiro na bolsa de valores.

Confira a seguir!

Ações ON

O tipo mais comum do mercado são as ações ordinárias, que têm a sigla ON. A principal característica dessa classe é permitir ao investidor que participe, com direito a voto, das assembleias gerais da empresa. 

Sendo assim, quem detém ações ON pode, por exemplo, ajudar a eleger membros do conselho administrativo. Contudo, nem sempre é possível ter uma grande influência nos rumos do empreendimento, já que a participação do investidor é proporcional à quantidade de ações que possui.

Apesar do direito ao voto, há um ponto que pode ser desfavorável em relação às ações ordinárias. Elas não têm preferência na distribuição dos lucros da organização. E, no caso de falência da empresa, esses investidores também ficam em desvantagem.

Isso porque eles só recebem algum valor — se houver o que receber — depois dos acionistas com ações preferenciais e credores. Entretanto, na situação de uma mudança de controle acionário da empresa, existe um sistema de proteção a quem possui ações ordinárias. É o tag along. 

Ele permite aos investidores minoritários venderem seus papéis para os novos acionistas por, no mínimo, 80% do valor do que foi vendido pelos sócios majoritários. É, portanto, um mecanismo que traz mais segurança para o investidor em caso de troca de controle acionário. 

Ações PN

Outro tipo de ação são as preferenciais, que levam a sigla PN, e apresentam algumas diferenças em relação aos ativos ON. Acionistas detentores de ações PN não têm direito a voto em assembleias gerais da companhia — limitando, assim, sua participação.

Apesar disso, dão a vantagem de o investidor ter preferência no momento de receber eventuais proventos distribuídos pela organização. Essa mesma regra se aplica para o caso de liquidação da empresa — as ações PN garantem a seus detentores lugares mais próximos na fila para o recebimento de eventuais valores.

Há, ainda, mais uma particularidade nessa classe de ações. A companhia pode comprar de volta o papel a qualquer momento sem a necessidade de justificativa. Outro ponto importante é que os acionistas com ações preferenciais não contam com a proteção do tag along.

Units

Além de ações ON e PN, você também encontra no mercado as units. Elas são, na verdade, certificados de depósitos de ações, que podem ser considerados um pacote de papéis. Eles são formados por diferentes classes, podendo ser compostos pelos tipos ON e PN.

Desse modo, as units podem ser uma alternativa para quem deseja aproveitar os benefícios dos dois tipos de ações. Ao adquirir um pacote, você se expõe tanto aos papéis PN quanto aos ativos ON — na proporção montada pela empresa.

O que são as ações small caps, mid caps e blue chips?

Além das classes de ações, os investidores podem se deparar com outra classificação. Ela considera o tamanho das empresas ou seu valor de mercado. Assim, conhecer essa divisão trará mais subsídios para fazer escolhas acertadas ao comprar e vender esses papéis. 

De acordo com essa classificação, as ações podem ser:

Conheça os tipos de ações disponíveis na bolsa de valores

Small caps 

As small caps são consideradas as companhias com capital aberto de menor capitalização da bolsa. Geralmente, possuem valor de mercado inferior a R$ 3 bilhões — algumas delas são novas e ainda desconhecidas dos investidores.

Saiba ainda que muitas têm um grande potencial de crescimento, podendo oferecer um bom retorno no longo prazo. Porém, as ações das small caps costumam apresentar baixa liquidez e maior risco. Logo, é preciso ponderar antes de investir.

Mid caps

Já as chamadas de mid caps são as companhias com valor de mercado intermediário, entre as small caps e large caps. Ou seja, podem ser consideradas empresas de porte médio na bolsa. Por isso, apresentam liquidez e riscos medianos entre as duas classificações.

Large caps ou blue chips 

Por fim, existem as large caps ou blue chips — as companhias com maior valor de mercado. As ações dessas empresas costumam ter maior liquidez, visto que representam um volume alto das negociações diárias na bolsa.

Muitas pessoas, inclusive, acham curioso as large caps serem chamadas de blue chips. Você sabe o motivo? Elas recebem essa denominação em uma referência ao jogo de pôquer, em que as fichas azuis são as de valor mais elevado.

É importante destacar que, como são representadas por empresas mais consolidadas, as blue chips costumam apresentar resultados mais constantes. Logo, podem distribuir dividendos maiores e mais frequentes. 

Há ainda o fato de seus papéis serem, geralmente, menos voláteis. Contudo, trata-se da renda variável, em que não há garantia de valorização do ativo. Por isso, considere o risco envolvido — mesmo em empresas mais sólidas e de maior valor de mercado.

É interessante compreender, ainda, que a classificação das ações segundo a capitalização da companhia não tem interferência na classe dos tipos de papéis. Sendo assim, todas essas ações podem se apresentar no mercado como ordinária, preferencial ou units, se for do desejo da empresa.

Como identificar o tipo de ação?

Como você pode acompanhar, existem diferenças relevantes entre os tipos de ações. Dessa maneira, ao investir nos papéis na bolsa brasileira — a B3, é fundamental saber como identificar se o ativo é uma ação ON, PN ou unit.

Diferenciar entre a classe de ações é muito simples, basta relacionar o número do código da ação (ticker) que você encontra no home broker. O ticker é composto por quatro letras, que fazem menção à companhia, seguidas por um número.

Assim, o número 3 indica que a ação é do tipo ordinária, já o número 4, preferencial. Há também as units, que são indicadas pelo número 11. Veja o exemplo: a ação da Petrobras pode ser PETR3 (ações ON) ou PETR4 (ações PN) e a ação unit do Santander é a SANB11.

No entanto, fique atento: apesar de o 11 indicar a ação unit, o número também indica os ETFs (exchange traded funds) e os fundos de investimento imobiliários (FIIs). Eles são modalidades negociadas na bolsa de valores e não podem ser confundidos com ações.

É importante saber, ainda, que há outros números que podem compor o ticker da ação. Isso porque as companhias podem personalizar as classes de ativos que oferecem. Então, você pode se deparar com números diferentes — como 5, 6 ou 7 — no código da ação.

O número 5, por exemplo, pode ser utilizado para indicar ações preferenciais que pertencem à classe A, ou seja, que têm a garantia de recebimento mínimo de dividendos. Já o número 6 no ticker pode indicar ações preferenciais de classe B, que podem oferecer um dividendo pré-estabelecido.

Por que conhecer os diferentes tipos de ações antes de investir?

Ao longo deste texto, você pode notar que as ações diferem entre si. Então, ao aportar seus recursos nos papéis da empresa, é preciso escolher em qual tipo de ação você deseja investir. Afinal, as diferenças entre elas podem impactar seus objetivos e resultados.

Um dos pontos principais diz respeito à participação do acionista na companhia. Como você viu, as ações ordinárias garantem o direito ao voto nas assembleias realizadas. Assim, é preciso refletir: essa é uma vantagem que faz sentido para você? 

Apesar de ser um chamariz, é necessário um volume grande de ações para ter alguma influência nas decisões da empresa. Dessa maneira, para o investidor iniciante ou pequeno investidor, ter o direito de participação nas votações pode não ser tão relevante assim. 

No entanto, se o direito ao voto não faz muita diferença para muitos investidores, o fato de as ações ON estarem protegidas pelo mecanismo de tag along pode ser um aspecto de peso.

Imagine uma empresa que está crescendo no mercado e, assim, tem grandes chances de ser comprada por outra companhia. Ter a garantia do tag along traz mais segurança, já que você poderá vender seus papéis por um valor próximo ao dos sócios majoritários.

Vale destacar que, apesar de ser uma característica das ações ordinárias, esse mecanismo pode estar presente também nas ações PN. Isso acontece quando a empresa oferece essa proteção em seu estatuto.

Ademais, as ações PN oferecem o benefício da preferência em dividendos. Portanto, cabe a cada investidor entender os tipos de ações e analisar os fatores para saber o que se adequa melhor à sua estratégia.

Como escolher as ações para compor o portfólio?

Ao conhecer os tipos de ações de acordo com a classe e também segundo seu valor de mercado, você tem informações importantes para fazer as melhores escolhas. Dessa forma, pode estudar cada papel e decidir por um investimento que combine com seu perfil de investidor e metas financeiras.

Foi falado sobre a possibilidade de uma participação mais aberta ou restrita nas decisões das empresas, escolhendo ações ON ou PN. Contudo, na hora de compor seu portfólio, é preciso analisar outros fatores. 

Veja abaixo!

Conheça os tipos de ações disponíveis na bolsa de valores

Liquidez

Uma diferença importante entre as ações ordinárias e preferenciais está relacionada à liquidez. As ações PN costumam ter uma liquidez maior que as ações ON. Desse modo, caso seu interesse seja especular no curto e médio prazo, por exemplo, essa pode ser uma diferença a considerar.

Nível de governança corporativa 

É necessário entender também que existem companhias que só possuem um tipo de ação — ou que oferecem os mesmos direitos das ações ON nas ações PN. Sabe por que isso pode acontecer? Esse é um fator que tem relação com o nível de governança corporativa.

Isso porque a B3 também tem o critério de governança para classificar as empresas. Para se enquadrar nas classificações superiores, é preciso ampliar os direitos dos acionistas PN ou mesmo só oferecer ações ON (como no Novo Mercado).

Perfil e objetivos do investidor

Como foi possível perceber, é provável que você tenha contato com as ações do tipo ON e PN ao investir na bolsa. Cada tipo apresenta vantagens e desvantagens. Portanto, avalie cada ponto com atenção para alocar seu capital naquelas que fazem mais sentido para sua carteira.

Não deixe de considerar seus objetivos pessoais e fazer análises bem fundamentadas. Suas decisões de investimentos não devem se basear apenas em informações rasas ou indicação de alguém. É preciso conhecer suas necessidades e metas.

A ideia deste post foi trazer um panorama sobre os tipos de ações que você encontra no mercado ao aportar na renda variável. Conhecer as características de cada um, bem como identificar, pelo código, a qual classe pertence a ação ajudará você a fazer escolhas mais acertadas.

Fica na dúvida sobre como compor seu portfólio? Conheça nosso serviço de gestão de investimentos. Ajudamos você a montar uma carteira personalizada com uma diversificação inteligente, sempre de acordo com os seus objetivos financeiros!