IPO – Entenda a Abertura de Capital das Empresas na Bolsa

Você sabe o que significa a sigla IPO?

Esse é um conhecimento muito importante para qualquer investidor em ações.

A Initial Public Offering é o momento em que uma empresa oficialmente abre seu capital e disponibiliza suas ações para serem negociadas por investidores na Bolsa de Valores!

Muitos investidores acreditam que comprar ações de empresas em Abertura de Capital (outro nome do IPO) é uma boa oportunidade.

Muitos outros, por outro lado, acreditam que é melhor esperar um pouco mais para ter mais informações e verificar como o mercado reage a essa nova empresa.

Você já pensou sobre isso?

Será que vale a pena adquirir ações de empresas logo que elas estão abrindo seu capital na Bolsa?

Continue lendo para entender tudo sobre esse processo, e o que eu penso sobre comprar empresas em IPO!

    O QUE É A INITIAL PUBLIC OFFERING – IPO

    O que é Ibovespa?

    IPO é a sigla em língua inglesa de Initial Public Offering.

    Em português, isso se traduz para Oferta Pública Inicial.

    Este é o momento no qual uma empresa “abre seu capital”, ou seja, pega um pedaço de seu patrimônio (ou ele todo) e pulveriza-o em ações na Bolsa para que novos investidores possam se tornar sócios dela.

    Isso muda o status da empresa de “Limitada” para S.A., ou seja, Sociedade Anônima, pois a companhia passa a ter diversos sócios donos de seus papéis.

    Depois desse processo, a empresa em questão passa a estar listada na Bolsa de Valores, e os investidores podem comprar e vender as ações da mesma.

    Mas é importante lembrar que esse não é um processo simples, nem barato, e nem fácil.

    A abertura de capital de uma empresa requer muitas documentações, pagamentos, e o obedecimento de diversas regulamentações.

    Ao chegar no final dessa burocracia toda, a empresa pode disponibilizar sua participação societária na Bolsa, e essa distribuição pode ser de dois tipos diferentes: primária ou secundária.

    Distribuição Primária: é quando a emissão de ações é feita pela própria empresa. Dessa forma, é como se a própria companhia estivesse vendendo pequenas partes dela, e a arrecadação dessa venda inicial será direcionada ao caixa da mesma.

    Distribuição Secundária: esse é o nome dado quando a venda de ações não é feita pela empresa em si, mas pelo empresário ou algum de seus sócios que deseja vender parte de sua participação societária, ou toda esta. Neste caso, o dinheiro vindo da venda desses papéis não vai para a empresa, mas para a pessoa que as vendeu.

    QUAIS EMPRESAS FIZERAM IPO NA BOVESPA EM 2019?

    Diversas empresas estrearam na Bolsa de Valores brasileira nos últimos anos. Em 2019, foram estas:

    • Banco BMG (BMGB4) – Financeiro
    • BBM Logística (BBML3) – Bens Industriais / Serviços / Serviços Diversos
    • C&A Modas (CEAB3) – Consumo Cíclico / Comércio / Tecidos. Vestuário e Calçados
    • Centauro (CNTO3) – Consumo Cíclico / Comércio / Produtos Diversos
    • Lifemed (LMED3) – Saúde / Equipamentos / Equipamentos
    • Litela (LTLA3B) – Materiais Básicos / Mineração / Minerais Metálicos
    • Vivara S.A. (VIVA3) – Consumo Cíclico / Tecidos. Vestuário e Calçados / Acessórios

    QUAIS EMPRESAS FIZERAM IPO NA BOVESPA EM 2020?

    • Locaweb (LWSA3) – Tecnologia da Informação / Programas e Serviços / Programas e Serviços
    • MITRE REALTY (MTRE3) – Consumo Cíclico / Construção Civil / Incorporações
    • MOURA DUBEUX (MDNE3) – Consumo Cíclico / Construção Civil / Incorporações

    (Lista atualizada por último em 26/03/2020. Para a lista completa englobando mais anos, visite o site da B3.)

    QUAIS AS VANTAGENS DO IPO PARA A EMPRESA

    investindo-em-acoes-no-longo-prazo

    Existem diversas vantagens para uma empresa que abre seu capital na Bolsa.

    A primeira e mais óbvia delas é a obtenção de uma boa quantia de dinheiro em caixa, caso a distribuição seja primária.

    Dependendo do tamanho e do valor da empresa, o IPO pode mudar o jogo para o negócio.

    No entanto, existem diversos outros fatores positivos para companhias que se tornam Sociedades Anônimas, dos quais muita gente esquece.

    Um deles é a possibilidade de começar a remunerar parcialmente seus funcionários com ações da própria empresa, algo que pode motivá-los a fazer um trabalho melhor para avanço do negócio, já que a valorização das cotas representaria um aumento de seu salário.

    Além disso, como dizia Benjamin Graham, “o mercado de ações no curto prazo é uma urna de sentimentos”. Portanto, ter suas ações em Bolsa e observar a cotação delas pode ajudar a avaliar como o mercado está enxergando a empresa no momento, uma informação que pode ser utilizada na administração do negócio.

    E, finalmente, estando listada em Bolsa, uma companhia aumenta sua exposição, se tornando mais conhecida por mais pessoas, quase agindo como uma pequena “publicidade”.

    E essas são apenas algumas vantagens, além de outras que talvez não faça sentido ficar falando aqui. Mas vamos passar para as desvantagens:

    QUAIS AS DESVANTAGENS DO IPO PARA A EMPRESA

    LCA Letra de Crédito do Agronegócio

    Depois de todos os pontos positivos listados acima, será que existe um lado ruim em uma empresa se tornar uma Sociedade Anônima?

    Sim, existe.

    Primeiramente, e como eu falei no começo do artigo, o processo para abrir o capital social na Bolsa de Valores é extremamente demorado, burocrático e caro.

    Como um exemplo da burocracia e dos gastos envolvidos, eu selecionei uma parte do Prospecto de IPO do Banco Inter no qual eles listam os gastos que tiveram ao longo da Abertura de Capital:

    É possível ver que o total de gastos com Comissões, Tributos e Despesas chegou na casa de 30 milhões de reais.

    De acordo com um estudo da PWC Brasil, além dos gastos iniciais, uma empresa gasta em média quase US$ 400 mil por ano para ter capital aberto no Brasil.

    Quanto ao tempo, ela pode demorar entre 3 meses e mais de 2 anos desde o início do processo até estar vendendo suas primeiras ações.

    Mas isso não é tudo: o IPO representa também desafios administrativos.

    A empresa é obrigada, para poder fazer sua Oferta Pública, a apresentar publicamente diversas informações que ela anteriormente podia guardar em sigilo.

    Ou seja, quando uma companhia abre seu capital, o mercado inteiro (e isso inclui suas concorrentes) fica sabendo de muitas coisas sobre ela que antes não sabia.

    Além do sigilo, os empresários precisam abdicar um pouco de seu controle sobre o negócio ao vender ações.

    Isso é porque, ao vender ações ordinárias, a empresa está admitindo diversos “novos sócios” no negócio, muitos deles podendo querer influenciar os rumos do negócio daqui para a frente, nas Assembleias.

    Portanto, os empresários precisam refletir bastante e pesar os prós e contras antes de iniciar um processo de IPO.

    Mas chega de falar da empresa.

    Quais as vantagens do IPO para você, investidor?

    Será que vale a pena comprar empresas que estão abrindo seu capital agora na Bolsa?

    EU DEVO COMPRAR AÇÕES DE EMPRESAS EM IPO?

    onde-investir-50-mil

    Muitos investidores acreditam que comprar uma empresa logo em sua largada na Bolsa de Valores pode ser uma boa ideia. 

    Esses investidores, muitas vezes, observam o funcionamento da empresa antes de sua abertura de capital, e tentam fazer previsões de seu desempenho na Bolsa a partir de seu sucesso pré-IPO.

    Dependendo dessa análise, eles podem acreditar que o preço inicial da empresa pode estar baixo demais, e que ela pode se valorizar bastante no longo prazo.

    Isso pode acontecer mesmo, mas não há garantia.

    Há também os que dizem exatamente o contrário.

    Foram esses que inventaram a brincadeira “IPO = It’s Probably Overpriced” (“IPO = Está Provavelmente Caro Demais”, em inglês).

    Muitas vezes, o valor inicial das ações de uma companhia não é algo muito confiável, o que me deixa apreensivo quanto a investir em Ofertas Públicas Iniciais (embora também não seja uma regra).

    No entanto, o maior motivo pelo qual eu não invisto em IPOs é que não é possível analisá-la com base na minha estratégia.

    Isso porque, para escolher minhas ações, eu utilizo métricas de Value Investing que não estão disponíveis até alguns meses depois da empresa estar listada na Bolsa.

    Além disso, algo bem importante para minha estratégia é a liquidez, ou seja, o quanto uma empresa é negociada diariamente na Bolsa.

    E, como você deve estar imaginando, isso é algo que você simplesmente não tem como saber quando a empresa ainda não está listada na Bovespa.

    Aproveitando essa oportunidade, se quiser entender melhor minha estratégia de investimentos, dê uma olhada nesse artigo!

    E é por isso que, pelo menos para mim, comprar companhias em IPO não é um negócio atraente. Prefiro esperar um pouco.

    QUE LIÇÃO LEVAR DO PROCESSO DE IPO?

    Como investir em ações

    Como você pode ver, o IPO é um processo extremamente importante do mercado de ações, que todo investidor deve compreender bem.

    A abertura de capital representa diversos desafios e oportunidades para a empresa que a faz, e divide muito os investidores.

    De qualquer forma, é importante é reconhecer que a Initial Public Offering de um negócio é algo positivo para todo o mercado!

    Quer você invista nela ou não, uma nova companhia chegando na Bolsa significa mais desenvolvimento e crescimento para nosso mercado financeiro, algo positivo para todos os investidores e empresas!

    E, talvez, depois de um tempo e uma boa análise, você perceba que ela é uma boa oportunidade para você também!

    Se você chegou até aqui, eu aproveito para oferecer para você o meu treinamento Minha Primeira Carteira de Ações, que te ensina desde o zero a começar a investir na Bolsa de Valores com uma estratégia simples e que diversifica muito suas ações!

    Você pode conhecê-lo melhor aqui!

    Ficou com alguma dúvida sobre o artigo? Não hesite em perguntar nos comentários!

    E, com isso, me despeço por hoje!

    Ramiro Gomes Ferreira


    Artigos Relacionados