As ações TAEE11, da Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A. (Taesa), são uma das alternativas para investir na empresa na bolsa de valores. Elas representam certificados de depósitos de ações, também chamados de units — uma espécie de pacote composto por mais de uma classe de papéis.

Assim, quem deseja investir no setor de energia, pode se interessar por esses ativos. Porém, antes de fazer aportes na companhia, é importante conhecer as características das ações e compará-las às suas necessidades. Afinal, é preciso que a escolha esteja alinhada às estratégias do seu portfólio.

Neste conteúdo, você aprenderá mais sobre as ações TAEE11 para identificar se vale a pena investir em Taesa. Confira!

Qual é a história da Taesa?

A Taesa é uma das maiores companhias privadas de transmissão de energia elétrica do Brasil. A sua atuação acontece exclusivamente com construção, operação e manutenção de ativos de transmissão.

Em 2021, a Taesa já possuía mais de 11 mil quilômetros em operação e mais de 2.500 quilômetros de extensão em construção. Além disso, contava com ativos em 97 subestações em operação e presença em todas as regiões do país.

Ainda, o seu portfólio possuía 39 concessões de transmissão e um centro de operação e controle localizado em Brasília. Porém, tudo foi resultado de sua evolução ao longo dos anos. 

Confira a trajetória da Taesa:

Evolução da empresa

A história da Taesa começa em 2000, por meio do leilão realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). O processo foi composto por instalações de transmissão de energia elétrica divididas em três lotes.

Linhas de Transmissão Elétrica - Ações TAEE11, vale a pena investir em Taesa?

Em 2003, o controle da Transmissora Sudeste Nordeste S.A. (TSN) e da Novatrans Energia S.A. foi transferido para a Terna S.P.A. — empresa italiana possuía grande experiência no setor de transmissão de energia elétrica. 

Depois, em 2006, a Terna construiu no Brasil uma holding chamada Terna Participações S.A. para a qual transferiu o controle das empresas. Três anos depois, em 2009, essa holding passou a se chamar Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A. — Taesa.

Isso aconteceu porque a Terna vendeu a Terna Participações para o fundo de investimento em participações Coliseu e para a Cemig Geração e Transmissão S.A.

Vale saber que o objetivo da companhia é realizar serviços diversos no setor elétrico nacional. Além disso, ela aplica esforços constantes e melhorias em suas instalações para aprimorar a qualidade do seu trabalho. 

Entre as atividades exercidas pela Taesa, estão:

  • realização de estudos de viabilidade;
  • engenharia básica e detalhada para execução de construções;
  • operação e manutenção de sistema de energia elétrica;
  • processos de supervisão, controle, repartição e monitoramento.

Com essa evolução, a Taesa conquistou espaço entre as maiores transmissoras privadas do Brasil. Inclusive, essa classificação considera a concentração de receitas provenientes da prestação de serviço público de transmissão de energia elétrica.

Como é o segmento do setor de energia na bolsa de valores?

Como você viu, a Taesa atua no setor de energia elétrica brasileiro, então é interessante conhecê-lo para auxiliar na decisão. O segmento é considerado um dos mais defensivos na bolsa de valores. O motivo para isso é que ele é considerado bastante estável, com empresas consolidadas e demanda garantida.

No Brasil, o setor é estruturado de forma a garantir a universalização do acesso, a segurança do fornecimento de energia e a redução de tarifas e preços. Para tanto, a ANEEL é a responsável por fiscalizar o segmento e as empresas que nele atuam.

Saiba, ainda, que a agência é uma autarquia em regime especial vinculada ao Ministério de Minas e Energia. Entre outras funções, ela visa promover condições mais favoráveis para o bom desenvolvimento dos serviços de energia elétrica no país.

Como é o modelo de negócio das empresas?

Antes de comprar ações TAEE11, é importante entender como funcionam os modelos de negócio da empresa. Para saber mais, você precisa conhecer os três segmentos específicos em que o setor de energia elétrica pode ser dividido.

O primeiro é o de geração de energia em estações e usinas hidrelétricas, eólicas, solares e termelétricas. É comum que empresas do segmento busquem alternativas para a produção energética que reduzam os impactos ambientais.

No segundo segmento, o de transmissão, as companhias são responsáveis pela construção de linhas transmissoras que distribuem a energia elétrica para as empresas distribuidoras. Uma das vantagens competitivas dessa área é lidar com a etapa mais lucrativa. É nesse setor que a Taesa atua.

Por fim, há o ramo de distribuição, em que as empresas são responsáveis pela distribuição da energia elétrica para as áreas industriais e residenciais. Dessa forma, elas têm relação direta com os consumidores finais.

Quais são os riscos existentes?

Também é necessário considerar os riscos do setor ao avaliar o investimento. O segmento é altamente controlado e suscetível a problemas climáticos, de gestão, políticos e regulatórios.

Por esse motivo, boa parte da sua margem de lucro depende da capacidade de investimento e da eficiência operacional das empresas. Com relação aos riscos climáticos, por exemplo, os períodos de seca causam impactos diretos ao setor.

Vale a pena investir em Taesa?
Vale a pena investir em Taesa?

Nesses momentos, geralmente os custos de geração e distribuição de energia no país aumentam. Assim, a margem de lucro das empresas de energia depende de uma gestão eficiente e do controle de despesas.

A questão também afeta os investidores de empresas de energia na bolsa. Afinal, uma margem de lucro reduzida influencia a distribuição de dividendos aos acionistas, por exemplo. Além disso, as ações de companhias do setor sofrem com a volatilidade natural do mercado.

Como foi o IPO da Taesa?

Em outubro de 2006, a Terna abriu seu capital por meio de uma oferta pública inicial de ações na bolsa de valores. Em maio de 2010, a Cemig Geração e Transmissão e o fundo de investimento em participações Coliseu aumentaram a participação na Taesa.

O processo ocorreu por meio de uma oferta pública de ações — o IPO. Dois anos depois, em julho de 2012, a Taesa voltou ao mercado, emitindo novas ações. Desde então, os acionistas minoritários passaram a deter 27% do capital total da empresa.

Vale saber que a Taesa levantou R$ 1,76 bilhão na oferta pública e as ações TAEE11 foram precificadas em R$ 65. A demanda foi 4,3 vezes acima da oferta e o preço ficou dentro da faixa estimada no prospecto da operação.

Na ocasião, foram emitidas 27 milhões de novas units. Os recursos captados foram utilizados para financiar a participação em leilões, adquirir ativos de transmissão e reforçar as linhas de transmissão existentes.

Sobre as ações units e a TAEE11

Quando o assunto é ações TAEE11, vale reforçar o que isso significa. No mercado, você encontrará outros tipos de ativos da Taesa — como TAEE3 e TAEE4. Cada papel é formado por um único código alfanumérico que pode ser utilizado para identificar a classe de cada uma.

Para facilitar as negociações na bolsa, cada ação tem um ticker que, normalmente, é formado por 4 letras e 1 número. As ações ordinárias, por exemplo, costumam utilizar o número 3. Já o código das preferenciais costuma terminar com o número 3.

As units, por sua vez, costumam ser identificadas pelo número 11. Eles são certificados de depósito de ações que funcionam como um pacote composto por mais de uma classe de valores mobiliários. Assim, elas são compostas por ativos distintos.

Na prática, uma unit pode conter um grupo de diferentes ações, como preferenciais e ordinárias. Portanto, não se trata de um ativo individual, mas sim de um conjunto de classes de ativos, que pode ser de diferentes tipos.

No caso da Taesa, as ações TAEE11 são compostas por uma ação ordinária e duas preferenciais. De forma geral, a diferença é que as ações ordinárias oferecem ao investidor o direito de voto nas assembleias gerais. Já as preferenciais não costumam garantir esse direito ao investidor.

Por outro lado, elas oferecem prioridade no recebimento de proventos de um empreendimento. Isso significa que quem possui um papel preferencial pode receber dividendos, por exemplo, antes dos detentores de ações ordinárias.

Quais são as principais características da Taesa?

Mesmo que, após uma análise inicial, você acredite que a Taesa é uma opção atrativa, existem fatos relevantes que devem ser avaliados. O motivo é que todas as informações são importantes para aumentar o seu conhecimento e embasar as suas decisões.

Confira as principais 

Trata-se de uma empresa small cap

Primeiro, vale entender que a Taesa é uma empresa small cap. Ou seja, ela é uma companhia listada na bolsa que apresenta um menor valor de mercado. Também é possível considerar o volume de negociações que a empresa possui na bolsa.

É comum que os requisitos para determinar esse tipo de empresa variem de um mercado para outro. No Brasil, companhias cujo valor de mercado é de até R$ 10 bilhões são consideradas small caps.

De forma geral, elas podem incluir novas empresas que não são líderes nos seus mercados ou companhias consolidadas, mas que fazem parte de setores menores da economia.

Ainda, as small caps costumam ter um grande potencial de crescimento e valorização, especialmente no longo prazo. Para facilitar a compreensão, vale comparar com organizações que possuem maior valor de capitalização.

Elas não tendem a ter um crescimento tão elevado ao longo do tempo. Ao mesmo tempo, as small caps podem apresentar maiores riscos em comparação a empresas já consolidadas no mercado.

Tem participação no Ibovespa

Além de ser uma empresa small cap, a Taesa faz parte do índice Ibovespa. Também conhecido como IBOV, ele é a referência da bolsa de valores brasileira, a B3. O indicador representa o desempenho das ações mais negociadas no mercado.

Portanto, a Taesa está entre as empresas mais importantes da B3. Afinal os resultados do IBOV funcionam como um termômetro do mercado. Em geral, quando ele tem um bom desempenho, significa que a economia está apresentando resultados positivos.

O índice Ibovespa também serve como benchmark para os investidores. Ele pode ser usado como referência para entender o desempenho da carteira geral e dos investimentos feitos em ações. Nesse caso, você pode comparar o próprio portfólio com o IBOV para avaliar sua performance.

Conta com o pagamento de dividendos

Uma característica importante das empresas do setor de energia elétrica é que elas podem ser boas pagadoras de dividendos. Em geral, essas companhias são mais sólidas, por isso, não precisam reinvestir uma parte tão elevada do lucro no negócio.

Por consequência, elas conseguem distribuir mais proventos. Lembre-se de que, ao adquirir ações, você passa a participar do capital social de uma empresa. Ou seja, você se torna sócio dela e pode receber parte dos lucros obtidos no negócio.

Nesse sentido, a Taesa tem se destacado como boa pagadora de dividendos. Uma forma de identificar essa característica é pelo dividend yield (DY). O indicador é calculado pela divisão do valor de dividendos pago em um determinado período pelo preço individual da ação.

Embora, empresas com DY alto sejam consideradas boas pagadoras de dividendos, de modo geral, é preciso ter atenção. Os resultados passados não são garantias de rendimentos futuros. Assim, ter pagado bons proventos não significa que a prática se manterá no futuro.

Vale a pena investir em ações TAEE11?

Diante de todas as informações sobre a Taesa, fica mais fácil avaliar se vale a pena investir em TAEE11. Essa decisão é totalmente pessoal e dependerá do seu perfil e dos seus objetivos como investidor.

Negócios

Lembre-se de que se trata de um investimento em renda variável. Portanto, é importante que você tenha tolerância aos riscos que essa classe de ativos pode oferecer. Além disso, vale ter uma estratégia bem definida para os seus aportes.

Normalmente, quem investe na bolsa de valores busca lucrar por meio da valorização dos papéis ao longo do tempo ou com o recebimento de dividendos para viver de renda passiva. Desse modo, é importante identificar qual é o seu objetivo para escolhas mais alinhadas. 

Por fim, lembre-se de que esse investimento, especialmente com foco no longo prazo, exige uma boa análise de fundamentos. Por meio dessa estratégia você pode mitigar riscos e fazer escolhas mais conscientes.

Conhecendo a Taesa, suas características e fundamentos, em conjunto com as suas necessidades pessoais, fica mais fácil tomar uma decisão de investimentos. Assim, você pode analisar se vale a pena investir em ações TAEE11 e fazer escolhas acertadas para o seu portfólio. 

Gostou do conteúdo? Então baixe gratuitamente o nosso checklist com os passos que você pode seguir antes de começar a investir em ações!