Circuit Breaker: Entenda esse Mecanismo de Controle de Quedas da Bolsa de Valores

Vou te contar o segredo para enriquecer em Wall Street. Tenha medo quando os outros são gananciosos e seja ganancioso quando os outros estiverem com medo. – Warren Buffett

Você sabe o que é o Circuit Breaker?

Esse artigo está sendo escrito no dia 12 de março de 2020, em uma semana na qual esse mecanismo da B3 foi acionado novamente após quase 2 anos de desuso.

O Circuit Breaker foi novamente utilizado para combater as quedas originadas da dispersão do Coronavírus em mais países, do bloqueio de voos indo da Europa em direção aos EUA e das oscilações bruscas do preço do petróleo em decorrência de atritos políticos entre Arábia Saudita e Rússia.

E, nesta semana, esse instrumento não foi usado uma, não duas, nem três vezes, mas sim quatro vezes em um período de quatro dias.

Visto que há muitas dúvidas sobre esse instrumento da Bolsa brasileira, continue lendo para entender tudo sobre como funciona o Circuit Breaker!

    O QUE É O CIRCUIT BREAKER

    Riscos da Bolsa de Valores

    O Circuit Breaker é um mecanismo de paralisação das operações na Bolsa de Valores, que pode ser empregado pela BMFBovespa quando oscilações de preços muito bruscas ocorrem.

    Basicamente, quando esse instrumento é acionado, não é possível comprar nem vender nenhum ativo na Bolsa de Valores brasileira. Os preços ficam congelados e as ordens não são executadas. Resta aos investidores esperar o fim do Circuit Breaker para continuar suas operações.

    Existem 3 níveis de Circuit Breaker:

    Nível 1: Se o Ibovespa cair 10% em relação ao fechamento do mercado no dia útil anterior, as negociações da Bolsa são interrompidas por 30 minutos.

    Nível 2: Após o acionamento de um Circuit Breaker Nível 1, caso as quedas sigam ocorrendo e atinjam o patamar de 15% de baixa em relação ao fechamento do mercado no dia útil anterior (não ao primeiro Circuit Breaker), as negociações da Bolsa são interrompidas por 60 minutos, ou 1 hora.

    Nível 3: Utilizados ambos os primeiros níveis de Circuit Breaker, caso, após a reabertura do mercado, o Ibovespa caia para 20% de baixa em relação ao fechamento do dia útil anterior, a Bolsa pode suspender as operações em todos os mercados por prazo que pode definir a seu critério, e que deve ser comunicado ao mercado.

    Na última meia hora de funcionamento do pregão, essas regras não podem ser aplicadas. 

    Caso um Circuit Breaker seja acionado na penúltima meia hora do pregão, após a reabertura do mercado, o horário de funcionamento da BMFBovespa deve ser estendido em 30 minutos.

    Isso porque a última meia hora de pregão deve sempre ser composta de 30 minutos de negociação contínua, sem interrupções.

    POR QUE A BOLSA ACIONA O CIRCUIT BREAKER?

    Risco em Investimentos

    O Circuit Breaker é uma mecanismo utilizado para minimizar perdas.

    As oscilações muito bruscas do mercado podem causar uma espiral de quedas no mercado, desestabilizando completamente o sistema de preços na Bolsa e fazendo muitos investidores perderem muito dinheiro.

    Por isso, as pausas no mercado são acionadas.

    Espera-se que, na reabertura do mercado, os ânimos tenham sido acalmados no período de congelamento, e que os preços voltem a se comportar de uma forma normal.

    É basicamente um “tempo”, para que os investidores esfriem a cabeça e voltem com mais calma às negociações.

    O uso desse instrumento é praticamente exclusivo a momentos de alto temor financeiro global ou, no mínimo, nacional.

    Algumas outras instâncias nas quais o Circuit Breaker precisou ser acionado no Brasil foram no Joesley Day, em 2017, devido às delações ligando políticos importantes à esquemas de corrupção com a JBS; em 2008, em meio à crise do Subprime nos EUA; em 1999, com as altas do dólar; e em 1998 e 1997, com as crises na Rússia e em vários países da Ásia, respectivamente.

    O QUE VOCÊ DEVE FAZER EM CASO DE QUEDAS DA BOLSA E CIRCUIT BREAKER

    analise-fundamentalista

    No caso de você estar lendo este artigo no momento de uma queda desastrosa na Bolsa, possivelmente seguida de um ou múltiplos Circuit Breakers, existem algumas dicas pertinentes de como você deve se comportar:

    1. Acima de tudo NÃO VENDA!

    O maior erro que os investidores podem cometer em um momento de quedas vertiginosas da bolsa é tentar liquidar sua posição.

    Não esqueça do que as ações são: participações em uma empresa. Se você tem visão de longo prazo, você sabe que segue sendo sócio das companhias das quais é acionista, independentemente do preço das cotas que possui.

    A participação em negócios de qualidade deve ser seu foco, sempre, e não o ganho ou a perda com variações de valor em curto prazo.

    Se você se sente tentado a vender em momentos como esse, é possível que não saiba porque está investindo nas empresas de sua carteira. Nesse caso, é bom pensar se realmente está investindo com estratégia ou não.

    2. Lembre-se do significado de “variável”

    Com a tendência de alta quase constante que experimentamos em nosso mercado financeiro nos últimos anos, muita gente parece ter esquecido do que significa “renda variável”.

    Renda variável VARIA, para CIMA e também para BAIXO. Lembre-se sempre disso, e saiba que, não importa o quão forte for uma queda, os mercados sempre se recuperam e voltam a subir.

    3. Não invista sua reserva de emergência em ações

    Investidores mais calejados e tranquilos podem se sentir tentados a liquidar suas reservas de emergência para irem às compras neste momento de baixa.

    Mas essa não é uma boa ideia! Lembre-se: a sua reserva está aí para cobrir eventuais sinistros.

    Se você usá-la para comprar ações e tiver seu celular e carteira roubados amanhã, pode se ver obrigado a ter que liquidar ativos para cobrir as perdas. Aí voltamos à regra 1: NUNCA venda na baixa.

    4. Não desvie de sua estratégia

    Mantenha-se fiel a sua alocação de ativos e estratégia de investimentos.

    Se sua posição em renda variável caiu muito nos últimos dias, não há problema em vender um pouco de seus ativos de renda fixa para trazer sua carteira de volta à alocação ideal. Mas não mude suas porcentagens-alvo agora.

    Momentos de crise não são hora de tornar-se um investidor mais agressivo ou conservador. Esse tipo de mudança vem com o tempo e não deve ser tomada no calor do momento.

    5. Não se desespere. Isso não ajuda em nada.

    Não existe uma só situação da vida na qual entrar em pânico é a coisa mais inteligente a se fazer.

    A calma, a lógica e a estratégia são o caminho que os bons investidores devem seguir nesse momento.

    Se você é uma pessoa mais ansiosa, pare de olhar seu Home Broker, pare de pesquisar cotações e pare de assistir vídeos sobre investimentos. Utilize essa semana caótica para ler, fazer exercícios, passar tempo com sua família e pensar em outras coisas.

    Essa turbulência passará em breve.

    CONCLUSÃO

    analise-fundamentalista

    Como é possível notar, o Circuit Breaker é um mecanismo para proteção do patrimônio dos investidores, bem como do sistema de preços da Bolsa.

    A ocorrência do uso desse instrumento não é tão comum, mas também não deve ser vista como o fim do mundo.

    E, em momentos de dificuldade, como sempre, é necessário lembrar que o melhor a fazer é manter-se fiel a sua estratégia.

    Após essa explicação, eu vou ficando por aqui.

    Um forte abraço,

    Ramiro Gomes Ferreira


    Artigos Relacionados