Como Declarar Seus Investimentos em Tesouro Direto no Imposto de Renda em 3 Simples Passos

 

Você já sentiu isso?!

Aquela sensação de insegurança, ansiedade ou talvez até de medo que surge quando o prazo para declaração do imposto de renda está chegando ao final…

Eu sei bem como é isso.

E, por muito tempo, eu também tive estas sensações.

Afinal de contas, a declaração do imposto de renda é um assunto sério.

Se não a fizermos com o maior cuidado possível, podemos enfrentar problemas com a receita federal.

E, cá entre nós, problemas com a receita federal não são legais…

Para piorar essa situação e gerar ainda mais apreensão para o investidor, não existe muito material de qualidade – e gratuito – ensinando como realizar a declaração de seus investimentos.

Na internet (e inclusive no próprio Clube do Valor), muito se fala sobre o investimento em títulos públicos, através do tesouro direto.

Porém, muito pouco se fala sobre como declarar os investimentos em tesouro direto no imposto de renda.

E este é, justamente, o assunto que quero abordar neste artigo.

Aqui, vou tentar acabar com um grande problema que eu enfrentava nos meus primeiros anos como investidor: a falta de informação e orientação de qualidade sobre como declarar os investimentos no imposto de renda.

Para combater este problema, criei este completo artigo sobre como declarar seus investimentos no tesouro direto.

Aqui, você verá um passo a passo completo e recheado de imagens para aprender, de uma vez por todas, como fazer a sua declaração.

E não é só isso!

Além deste guia em formato de artigo, criei um completo manual sobre a declaração de investimentos em renda fixa no imposto de renda.

Você pode fazer o download deste material neste link, ou clicando na imagem abaixo:

Por fim, se você é uma daquelas pessoas que prefere conteúdo em vídeo (e muitos dos membros do Clube preferem), deixo abaixo o conteúdo deste post em vídeo:

Gostou do que está por vir?

Então continue lendo este artigo para saber mais sobre pontos como…

E muito mais!

PASSO #1 – TENHA O INFORME DE RENDIMENTOS EM MÃOS

Antes de mais nada, você precisa ter em mãos as informações básicas sobre a declaração.

Estas informações estão reunidas num documento chamado informe de rendimentos.

O informe de rendimentos é um documento bem simples que contém todas as informações pertinentes para a declaração anual de imposto de renda de suas aplicações.

Se você investe através do tesouro direto, você receberá (ou até já recebeu) o seu informe.

Como eu sei disso?

Porque todos os bancos, corretoras, empresas de capital aberto e administradoras de fundos de investimentos têm a obrigação legal de enviar o informe para seus investidores – ou de, pelo menos, disponibilizar via internet.

O informe de rendimentos é um documento mais ou menos assim:

Se você ainda não recebeu o seu, vá atrás dele!

Ele é imprescindível para a declaração do imposto.

Com ele nas mãos, você pode passar para o próximo passo.

PASSO 2 – DECLARE O VALOR INVESTIDO EM 31/12

O segundo passo é realizar a declaração dos investimentos mantidos no dia 31/12 do ano anterior.

Para isso, você precisa abrir o programa de declaração de investimentos da receita federal (e se você ainda não o possui, baixe-o aqui).

Uma vez aberto, procure pela opção ”bens e direitos” no menu da esquerda.

Uma vez selecionado, clique em Novo” e, em seguida, você cairá numa tela em que você poderá incluir o saldo mantido neste investimento no dia 31/12 dos últimos 2 anos e, também, uma discriminação sobre o que é este investimento.

Nesta parte, você pode optar por fazer uma declaração por cada título público ou, ainda, somar todos os títulos públicos e declará-los num único “bolo”.

Por facilidade, eu opto por esta segunda opção, em via de regra.

No saldo, inclua o exato mesmo valor que está discriminado no informe de rendimentos.

Já o campo “discriminação” possui certa liberdade de preenchimento.

Assim, eu recomendo que você inclua as seguintes informações, em sequência:

  • O tipo do investimento, no caso Investimentos em títulos públicos através do tesouro direto (escrever isso)
  • Onde ele está custodiado: Custodiado na XP Investimentos CCTVM S/A
  • E o cnpj do agente de custódia: Neste caso aqui, eu deveria ir atrás do CNPJ da XP, que está justamente no informe de rendimentos.

Só isso.

Seguindo estes passos, a sua tela ficará mais ou menos assim:

Simples assim.

Mas a sua declaração não acaba por aqui.

Depois de declarar o que você possuía no final do ano, você precisa declarar os rendimentos recebidos ao longo do ano.

PASSO 3 – DECLARAR OS RENDIMENTOS RECEBIDOS NO ANO ANTERIOR

Preciso deixar bem claro que talvez você não precise seguir este passo 3.

Ele só é necessário – e, neste caso, OBRIGATÓRIO, se você realizou a venda de algum título público ao longo do ano OU se você recebeu cupons destes títulos.

Rápido parênteses: Cupons são os pagamentos semestrais que alguns títulos, como o tesouro ipca+ com juros semestrais e o tesouro prefixado com juros semestrais, proporcionam.

Então, para saber se você deve seguir este passo 3, faça a si mesmo as seguintes perguntas:

  • ”Eu fiz uma venda de títulos ao longo do ano passado?”
  • ”Eu recebi juros sobre o investimento em títulos públicos ao longo do ano passado?”

Não se preocupe se você não souber estas respostas.

Afinal, estas informações também estarão presentes no seu informe de rendimentos 🙂

Se você realizou uma das duas operações, é hora de declarar o resultado líquido delas.

Para isso, você precisa acessar a aba ”Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”.

Uma vez, nesta aba, selecione a opção 06, rendimentos de aplicações financeiras.

Então, clique no botão “novo” e insira as seguintes informações:

  • Tipo de Beneficiário: Informar se é você, o titular, ou algum dependente seu.
  • CNPJ da Fonte Pagadora: Informar o CNPJ do banco ou corretora através da qual você investe no tesouro direto.
  • Nome da Fonte Pagadora: O nome do banco ou corretora através da qual você investe no tesouro direto.
  • Valor: Rendimentos líquidos recebidos ao longo do ano passado. Esta informação estará no seu informe de rendimentos.

CONCLUSÃO

Em suma, é apenas isso.

Realizar esta declaração pode não ser a coisa mais simples do mundo para quem está começando a investir, mas o processo é plenamente possível de ser realizado por conta própria.

Espero que com esta super aula vá ficar muito mais fácil para você declarar seus investimentos no tesouro direto com segurança.

Então agora deixe o seu comentários com suas dúvidas ou dizendo o que você achou deste post.

Também aproveite a oportunidade para fazer o download do manual completo de declaração de imposto de renda em aplicações de renda fixa ou ler o completo artigo sobre como declarar seus investimentos em renda fixa no imposto de renda!

Grande abraço,

Ramiro

  • Matsusa Borges

    Uma dúvida:
    Pela minha renda profissional, não preciso declarar IR.
    Mas invisto desde 2011 em TD e Ações.

    Mesmo sendo isento pela minha faixa salarial, tenho obrigação de declarar?

    • Ramiro Gomes Ferreira

      Fala Matsusa!

      Sim, você precisa declarar seus investimentos, mesmo sendo “isento” da declaração por conta da sua renda profissional.

      Grande abraço!

      • Matsusa Borges

        Obrigado meu camarada!
        Essa sua postagem será de grande ajuda!
        Abraço.

  • Alberto Tavares

    Ótimo post.

    Acabei de declarar os meus TDs no IR, rápido e indolor 🙂
    Obrigado
    abs
    http://www.maisinvestimento.com.br