O que é LC (Letra de Câmbio): Entenda Como Funciona, Quais as Vantagens e Desvantagens Desse Ativo e Descubra se Vale a Pena Investir

LC ou Letra de Câmbio

Você sabe o que é LC ou Letra de Câmbio?

Esse é um ativo de renda fixa pouco conhecido pelos investidores brasileiros.

Neste artigo, eu vou apresentar tudo o que você precisa saber sobre a LC, bem como mostrar o que você precisa fazer para realizar o seu primeiro investimento.

Dessa forma, você terá muito mais clareza na hora de investir o seu dinheiro e ainda contará com uma nova opção de ativo para diversificar a sua carteira.

Também vou mostrar as vantagens e desvantagens da LC (Letra de Câmbio) e explicar como você pode comparar a sua rentabilidade com outros investimentos.

Portanto, se esse assunto chamou a sua atenção, continue a leitura para dominar os seguintes pontos:

Clique abaixo e baixe agora mesmo a nossa Planilha Comparativa de Investimentos

Clique no botão abaixo e solicite a sua cópia da nossa planilha gratuita!

O QUE É LC OU LETRA DE CÂMBIO?

LC ou Letra de Câmbio

LC é a sigla para Letra de Câmbio.

Embora o nome possa sugerir, esse ativo não está associado com a tradicional taxa de câmbio, que é a relação entre duas moedas diferentes.

Na verdade, a LC se assemelha muito a um Certificado de Depósito Bancário, o CDB.

Trata-se de uma forma de empréstimo que o investidor faz a uma instituição financeira em troca de juros.

Exatamente como acontece no CDB.

Qual a diferença, então?

O emissor.

O CDB é emitido por um banco.

As Letras de Câmbio (LC), por sua vez, são emitidas por financeiras, uma outra categoria de instituição do mercado.

Como ainda veremos neste artigo, as LCs ainda compartilham outras características com o CDB, como a forma de tributação, tipos de rentabilidade, riscos e muito mais.

Juntamente com a LCI, a LCA, o próprio CDB e as debêntures, as LCs compõe o “quinteto” dos principais ativos de renda fixa de crédito privado disponível para o investidor brasileiro.

Além disso, também vale lembrar que os Títulos Públicos também são importantes ativos de renda fixa, mas oferecidos pelo governo federal através do programa Tesouro Direto.

Diferença entre um banco e uma financeira

Embora ambas sejam instituições financeiras, há uma diferença muito importante entre um banco e uma financeira.

A grande diferença é que o banco pode captar recursos através da conta corrente de seus clientes.

Ele faz isso através da tradicional Caderneta de Poupança, mas também oferece CDBs, LCIs e LCAs.

As financeiras, por não poderem captar recursos da mesma forma que um banco, acabam se colocando em uma posição de aparente desvantagem.

Porém, isso acaba se transformando em um ponto positivo para o investidor.

Como precisam concorrer com os bancos (e suas estruturas mais sólidas), as financeiras precisam atrair potenciais clientes de outra forma.

Elas fazem isso oferecendo melhores rentabilidades para as LCs, especialmente quando comparado com os CDBs.

É lógico que essa não é uma regra e tudo vai depender do retorno líquido de cada aplicação.

RENTABILIDADE DA LC

LC ou Letra de Câmbio

A divisão clássica dos ativos de renda fixa também está presente nas Letras de Câmbio.

Essa é exatamente a mesma classificação que encontramos nos títulos públicos e CDBs, por exemplo.

É muito importante dominar essa divisão para saber exatamente qual é a LC mais adequada para os seus planos financeiros.

Dito disso, as Letras de Câmbio podem ter a sua rentabilidade classificada em:

  • Pós-fixada: LCs cuja a rentabilidade atrelada a um indicador, geralmente o CDI. O retorno só será calculado na data de vencimento;
  • Prefixada: LCs cuja a rentabilidade é definida no momento da aplicação. O retorno geralmente é expresso através de uma porcentagem, como 10% ao ano;
  • Híbrida: LCs cuja a rentabilidade possui um componente pós-fixado e outro prefixado. O retorno geralmente é corrigido pelo IPCA (pós-fixado) e uma taxa fixa (prefixado).

Por utilizar uma divisão que também está presente nos títulos públicos e CDBs, é normal fazermos algumas comparações.

Por isso, não é errado dizermos que:

  • A rentabilidade das LCs pós-fixadas é bastante parecida com a dos títulos do Tesouro Selic;
  • A rentabilidade das LCs prefixadas é bastante parecida com a dos títulos do Tesouro Prefixado;
  • A rentabilidade das LCs híbridas é bastante parecida com a dos títulos do Tesouro IPCA+.

TRIBUTAÇÃO DA LC

LC ou Letra de Câmbio

A tributação de imposto de renda das LCs segue exatamente a mesma regra aplicada para outros ativos de renda fixa, como os CDBs.

A alíquota incide apenas sobre o rendimento e segue a tabela regressiva do IR:

  • Resgate em até 6 meses – alíquota de 22,5%
  • Resgate entre 6 meses e 1 ano – alíquota de 20%
  • Resgate entre 1 ano e 2 anos – alíquota de 17,5%
  • Resgate acima de 2 anos – alíquota de 15%,

É importante lembrar que o investidor não precisa apurar o Imposto de Renda manualmente.

Ele é calculado e retido diretamente da fonte no momento do resgate do investimento.

Vale ressaltar que as Letras de Câmbio também têm incidência de IOF, o Imposto sobre Operações Financeiras.

Ele incide apenas sobre a rentabilidade e é zerado após o 30º dia.

Portanto, caso possível, o recomendável é permanecer com uma aplicação em LC por, pelo menos, 30 dias (ou mais, se o investidor quiser pagar menos IR).

É lógico que essa discussão envolve somente a questão da tributação, mas o prazo e o objetivo dos investimentos.

OUTRAS CARACTERÍSTICAS IMPORTANTES

LC ou Letra de Câmbio

As Letras de Câmbio ainda possuem outras características importantes que valem a pena ser mencionadas.

Elas estão relacionadas com a carência, prazo de vencimento, liquidez, custo e a existência de valor mínimo para investir.

Carência

Da mesma forma que vários ativos do mercado, como CDBs, LCIs e LCAs, algumas Letras de Câmbio podem apresentar um prazo de carência.

Esse é o período que o investidor não pode sacar o dinheiro.

A carência pode variar bastante, podendo ser de 1 e até de 5 anos.

Porém, vale ressaltar que, quanto maior o tempo de carência, maior tende a ser o “prêmio” (ou rentabilidade) para o investidor.

Vencimento

As LCs também possuem um prazo de vencimento, que na maioria dos casos é o mesmo período de carência.

O vencimento determina quando aquele ativo específico poderá ser resgatado com a rentabilidade contratada pelo investidor.

Liquidez

Outra característica importante da Letra de Câmbio é a possibilidade de ter maior liquidez.

Da mesma forma que os CDBs, algumas LCs possuem liquidez diária, podendo ser rapidamente resgatadas pelo investidor.

Custo

Como a maioria dos ativos de renda fixa ofertado pelas corretoras, não há custos adicionais para se investir em Letras de Câmbio.

Isso não significa que o investidor não paga nada por esse investimento.

Ao decidir divulgar uma LC em sua plataforma, a corretora de valores pode ofertar uma rentabilidade para seus clientes diferente daquela que a financeira ofereceu para a própria corretora.

Isso é o que chamamos de spread, uma das diferentes formas que as corretoras ganham dinheiro – o que não é ilegal, diga-se de passagem.

Investimento mínimo

E, por fim, devo destacar que boa parte das Letras de Câmbio possuem um valor de investimento mínimo.

Esse montante pode variar bastante, indo de R$ 1.000,00 e podendo chegar a R$ 50.000,00 (ou mais).

Porém, o mais comum é encontrarmos LCs com investimento mínimo perto da casa dos R$ 10.000,00.

RISCOS DA LC

LC ou Letra de Câmbio

Em se tratando dos riscos, é normal alguns investidores alegarem que preferem CDBs por serem mais “seguros”.

Sim, é verdade que os bancos geralmente possuem estruturas maiores que as financeiras.

Porém, as LCs possuem exatamente o mesmo mecanismo de proteção que os títulos emitidos pelos bancos.

Estou falando da cobertura do FGC, o Fundo Garantidor de Crédito.

Esse é o instrumento (uma espécie de “seguro”) que protege o investidor no caso de intervenção ou liquidação da instituição financeira.

O FGC cobre valores de até R$ 250 mil por CPF/CNPJ e por instituição, podendo totalizar até R$ 1 milhão por CPF/CNPJ.

A garantia do fundo passou por atualizações recentes, por isso recomendo que você leia o nosso artigo completo para entender como o FGC realmente funciona.

Entretanto, os investidores contam ainda com mais uma “camada de proteção” na hora de avaliar o risco de uma financeira.

É possível avaliar o rating da instituição, uma espécie de nota de crédito emitida por agências de classificação de risco.

Essa nota avalia a qualidade de crédito da instituição, considerando a capacidade do emissor (que pode ser um banco ou uma financeira) de honrar suas obrigações financeiras integralmente e dentro do prazo estabelecido.

As três principais agências de crédito que avaliam boa partes das empresas do setor financeiro são: Moodys, S&P e Fitch.

As notas utilizam a classificação baseada em letras, onde “A” representa a nota mais alta e quanto mais distante dessa letra no alfabeto, pior é a classificação.

Por fim, vale ressaltar que o investidor que quiser consultar esse (e outros indicadores), pode recorrer ao site Banco Data.

COMO INVESTIR EM UMA LC?

Investir em uma LC é tão fácil quanto investir em qualquer outro título de crédito privado.

Isso porque eles geralmente são ofertados em uma mesma plataforma pela corretora de valores.

E sim: para investir em uma LC é preciso ter uma conta em uma corretora.

Para simplificar, você pode seguir o seguinte guia para investir em uma Letra de Câmbio.

  1. Abrir uma conta em uma corretora de valores;
  2. Transferir o seu dinheiro para a corretora;
  3. Selecionar o título que você quer investir;
  4. Fazer o investimento.

Investir em uma LC é realmente muito simples.

Trata-se apenas de um processo mais demorado para quem ainda não tem uma conta em corretora de valores.

A parte “mais difícil” sobre como investir em uma LC é na seleção do título e descobrir se aquele ativo está adequado aos seus objetivos financeiros.

VALE A PENA INVESTIR EM LC?

LC ou Letra de Câmbio

As Letras de Câmbio são ativos pouco conhecidos pelos brasileiros.

A maioria já ouviu falar muito em títulos públicos, CDBs e até nas LCIs e LCAs.

Mas as LCs também podem compor esse grupo de renda fixa e servir como mais uma opção para os investidores.

Para ajudar na decisão, listo agora as vantagens e desvantagens desse ativo:

Vantagens

  • Boa rentabilidade, que pode superar a de alguns CDBs
  • Segurança, graças a cobertura do FGC
  • Facilidade para investir

Desvantagens

  • Necessidade de investimento mínimo
  • Pode ter prazo de carência
  • Tributação do Imposto de Renda

Como sempre, algumas das vantagens e desvantagens acima podem ou não fazer sentido para você e seus objetivos financeiros.

Um investidor que possui planos de longo prazo, por exemplo, pode não se incomodar com o prazo de carência.

A rentabilidade também pode ser relativa, dependendo do ativo que serve de comparação.

No caso da tributação do IR, lembre-se sempre de considerar o retorno líquido de cada investimento.

Somente assim você estará fazendo um comparativo justo entre os diferentes ativos do mercado.

CONCLUSÃO

Este foi o nosso artigo completo explicando o que é e como funciona a LC, a Letra de Câmbio.

Esse é um importante ativo do mercado financeiro e pode ser uma alternativa viável para os investidores que querem diversificar a sua carteira.

Mas lembre-se sempre de entender como esse investimento “conversa” com os seus objetivos financeiros e se o retorno líquido da LC é realmente melhor do que o oferecido por outros ativos.

Para isso, eu recomendo que você utilize a nossa planilha comparativa de investimentos.

Com ela, você pode descobrir se são os títulos públicos, as LCIs/LCAs (isentas de IR) ou os CDBs e LCs que oferecem a maior rentabilidade


Eu vou ficando por aqui.

Não se esqueça de deixar o seu comentário dizendo o que você achou deste artigo!

Forte abraço,

Ramiro Gomes Ferreira.

O que é LC (Letra de Câmbio): Entenda Como Funciona, Quais as Vantagens e Desvantagens Desse Ativo e Descubra se Vale a Pena Investir
5 (100%) 2 votes