Você já ouviu falar nos fundos de fundos imobiliários? Eles também são conhecidos como FoFs de FIIs e podem ser uma alternativa adequada para a sua carteira de investimentos. Contudo, antes de optar por eles, é fundamental saber como funcionam.

Entender como o portfólio é composto, como é feita a gestão e todos os custos envolvidos é muito importante para analisar o investimento. Como existem diversos tipos de fundos de investimento, cada um terá estratégias próprias que podem interessar aos investidores.

Portanto, a seguir você entenderá o que são os fundos de fundos imobiliários e como eles funcionam. Continue a leitura e aprenda!

Computador, simulação de investimento

O que são os fundos de fundos imobiliários?

Antes de conhecer os fundos de fundos, você precisa saber como funciona um fundo de investimento imobiliário. Entenda!

Os fundos de investimentos imobiliários (FIIs)

Os fundos de investimento são formas de investir como uma espécie de condomínio. Assim, eles são lançados no mercado com uma estratégia definida em relação à composição de sua carteira e à forma de negociação.

O portfólio é gerido por um gestor profissional, responsável por fazer as negociações e buscar alcançar os objetivos propostos. Os investidores, por sua vez, podem adquirir cotas do fundo, que representam uma fração do patrimônio do investimento.

Dessa maneira, com a valorização do patrimônio do fundo, as cotas aumentam de preço. Ademais, dependendo do tipo de fundo de investimento, também é possível receber dividendos periódicos.

Os fundos se dividem em diversos tipos, que variam de acordo com os ativos no portfólio e a forma de investimento. Um deles, como você deve imaginar, é o fundo imobiliário — que monta sua carteira com ativos e investimentos desse mercado.

Eles costumam ser fundos de condomínio fechado, ou seja, a abertura para venda de cotas no mercado ocorre apenas uma vez. Após esse momento, as cotas serão negociadas entre os próprios investidores, por meio da bolsa de valores.

Os fundos imobiliários também se dividem em diversos tipos. Existem aqueles que investem em imóveis físicos para revenda e locação, por exemplo. Outros focam em títulos lastreados no mercado imobiliário e outros são os FoFs.

Os fundos de fundos (FoFs)

Agora que você já conhece os fundos imobiliários, fica mais fácil entender os fundos de fundos. Nesse tipo de fundo de investimento, o portfólio é composto, majoritariamente, por cotas de outros fundos de investimento.

Desse modo, o seu funcionamento é bem simples. O fundo é criado com a estratégia específica de alocar o seu patrimônio em cotas. Logo, escolhe-se em quais tipos de fundos haverá o investimento e a forma de negociação.

Vale ressaltar que nem todo fundo de fundo investe em FIIs. Além de ser um dos subtipos dos fundos imobiliários, outros tipos também podem apresentar essa estratégia. Assim, é possível encontrar fundos de ações ou multimercados, por exemplo, que investem em cotas de outros.

Então, os FoFs de FIIs são aqueles que têm uma carteira composta por cotas de diversos fundos imobiliários. Portanto, no lugar de investir diretamente no mercado imobiliário ou em títulos desse setor, eles alocam em outros fundos.

Estratégia de negócios, colaboração

Como eles funcionam?

As cotas dos FoFs de FIIs também são negociadas na bolsa de valores. Dessa maneira, para investir neles, é preciso ter uma conta em uma corretora de valores ou em um banco de investimentos. Na plataforma você acessa o home broker e faz as negociações.

Seu diferencial, como vimos, está no fato de que eles devem seguir a regra de compor a carteira com cotas de fundos do tipo em que estão inseridos. Dessa maneira, um FoF de FIIs só poderá ter cotas de fundos imobiliários, nunca de fundo de ações ou de ETFs, por exemplo.

Também é preciso que você entenda os custos relacionados aos FoFs. Acompanhe!

Taxas

Como existe um serviço relacionado à gestão da carteira e administração do fundo de fundos, eles cobram taxas dos investidores. A primeira delas é a taxa de administração, divulgada como um percentual anual sobre o capital investido de cada cotista e descontada automaticamente.

Também há a possibilidade de cobrança da taxa de performance. Ela não está presente em todos os fundos, mas, geralmente, é cobrada quando há uma gestão mais ativa. Os fundos aplicam a performance quando os rendimentos superam um benchmark.

Assim, a alíquota dessa taxa incide somente sobre o percentual de rentabilidade que superou o parâmetro. Imagine, por exemplo, que o fundo cobra 20% de performance em relação a um índice e alcançou 5% de rentabilidade a mais do que ele. A taxa incidirá sobre esses 5%.

Tributação

Em relação ao Imposto de Renda, os FoFs de FIIs seguem a mesma regra dos fundos imobiliários. Desse modo, será aplicada a alíquota de 20% sobre o ganho de capital quando houver a venda de cotas.

Vale lembrar que não há isenções nessa cobrança. Todo ganho de capital é tributado. Contudo, não incide o IR sobre os dividendos recebidos pelos cotistas.

Quais são as vantagens de investir em FoFs de FIIs?

Depois de entender o que são os fundos de fundos imobiliários e seu funcionamento, você deve estar se perguntando quais são as vantagens desse investimento. 

A primeira vantagem de investir nos FoFs de FIIs é a diversificação. Como eles possuem diversos FIIs no portfólio, com apenas um aporte você estará se expondo a fundos imobiliários diferentes.

Ademais, também há o benefício da gestão profissional da carteira, o que traz mais segurança para os investidores. Essa característica faz especial sentido para quem está iniciando nos investimentos ou não quer gastar tanto tempo analisando diversos fundos imobiliários.

negócios

Contudo, tenha em mente que suas escolhas devem ser baseadas em seus objetivos e perfil. Assim, considere o que você deseja alcançar com o investimento e se ele realmente é adequado para essa finalidade. Desse modo, você poderá compor a carteira com mais eficiência e com alternativas vantajosas para seu caso.

Além disso, o perfil de investidor também é um fator essencial. Ele demonstra como você lida com os riscos dos investimentos. Em geral, os FoFs costumam ser mais adequados para quem tem abertura a assumir os riscos da bolsa de valores.

Pronto! Agora você já sabe como funcionam os fundos de fundos imobiliários. Como vimos, eles podem ser boas oportunidades para quem quer diversificar a carteira de maneira mais simples. Mas lembre-se de sempre considerar o seu perfil e objetivo antes de qualquer aporte.

Quer entender melhor como os fundos imobiliários podem ajudar a diversificar sua carteira? Então não perca nosso curso completo sobre o assunto!