Todo investidor da Bolsa de Valores sonha em um dia viver de dividendos, e eu sei que com você não é diferente!

A ideia de viver sem preocupações, sem precisar trabalhar e com dinheiro caindo em sua conta todo mês é muito atraente.

Esse pensamento é tão difundido que existem inclusive estratégias de investimento totalmente baseadas em recebimento de dividendos.

Não só isso, mas a própria B3, a administradora da Bolsa de Valores do Brasil, criou o IDIV.

Esse é um Índice cujo foco é mostrar as ações que mais pagam dividendos disponíveis no mercado brasileiro!

E ao longo deste artigo, eu vou explicar tudo que você precisa saber sobre o IDIV para utilizá-lo ao seu favor em seus investimentos em ações!

Além disso, vou falar um pouco mais sobre como eu escolho as ações nas quais vou investir!

Então acompanha esse artigo para sair dele entendendo tudo sobre esse índice importante da B3!

O QUE EU PENSO SOBRE INVESTIR EM BOAS PAGADORAS DE DIVIDENDOS

Dividendos: o que é?

Apesar de não ter nada contra dividendos – todo mundo gosta de receber eles, inclusive eu – eu discordo daqueles que os tratam como a chave para uma carteira de ações vencedora.

Como um seguidor fiel do Value Investing, ou investimento em valor, filosofia de nomes como Warren Buffett, Benjamin Graham e Joel Greenblatt, eu dou mais peso à valorização dos papéis no longo prazo, na hora de escolher minhas empresas.

Também acredito no resultado um estudo conduzido pela equipe do Clube do Valor, que analisou o desempenho de empresas boas pagadoras de dividendos nos últimos anos.

Esse estudo não mostrou qualquer vantagem (ou desvantagem) de empresas boas pagadoras de dividendos sobre as outras empresas do mercado!

Você pode ler sobre esse estudo na Seção 2 desse artigo, que também fala de dividendos!

De qualquer forma, eu gosto de falar isso antes de fazer um artigo como esse para deixar bem claro que eu não invisto com foco em dividendos aqui no Clube do Valor.

Se você quer conhecer mais a fundo minha estratégia de investimentos, recomendo esse artigo sobre nossa estratégia e esse sobre Value Investing!

E vale mencionar: eu ensino na prática como aplicar os investimentos em ações exatamente como eu faço no curso Descomplicando o Mercado de Ações.

Ele não está sempre disponível, mas, nessa página, você pode deixar seus dados para receber um aviso quando uma nova turma abrir!

Agora, vamos seguir ao centro deste artigo: o que é o IDIV?

IDIV – O ÍNDICE DE DIVIDENDOS DA B3

como investir na bolsa de valores

Como o próprio nome indica, o IDIV é um Índice, ou seja, uma carteira teórica de ativos que dividem características em comum.

No caso, o ponto comum entre as empresas presentes no IDIV é estarem entre as melhores pagadoras de dividendos disponíveis na Bolsa brasileira.

Portanto, o IDIV acaba servindo muito bem como um indicador do desempenho médio das empresas que mais fazem distribuição de lucros entre seus acionistas!

Porém, não são todos os ativos da Bolsa que podem figurar nesse índice. Apenas alguns tipos de ações que seguem alguns critérios quantitativos podem fazer parte do IDIV:

Quais são os ativos que entram no IDIV?

  • Ações ON (Ordinárias)
  • Ações PN (Preferenciais
  • Units (Conjuntos de ações ON e PN)

Quais são os ativos que NÃO entram no IDIV?

  • BDRs (Brazilian Depositary Receipts)
  • Empresas em recuperação judicial ou extra-judicial
  • Empresas em regime de administração temporária ou intervenção

Quais os critérios que as ações devem obedecer para entrar no IDIV?

  • Estar entre os 33% (1/3) de ativos que mais pagou dividendos nos últimos 36 meses
  • Ter soma de Dividend Yield de cada período de 12 meses maior que 0 nos últimos 36 meses
  • Estar sendo negociado em 95% dos pregões no período das 3 carteiras anteriores
  • Estar entre os 99% de ativos mais negociados nos pregões no período das 3 carteiras anteriores

E como está essa carteira hoje?

COMPOSIÇÃO DO IDIV HOJE

No momento (02/07/2020), a composição do IDIV apresentada no site oficial da B3 é a da imagem abaixo (clique nela para ampliar):

É POSSÍVEL INVESTIR NO IDIV? – O ETF DIVO11

Como investir em ETFs

Diretamente, como no caso de todos os índices, não é possível investir no IDIV.

Porém, é possível investir nele através de um ETF.

Um ETF, também conhecido como um Exchange Traded Fund ou Fundo de Índice é um Fundo que compra ativos presentes em um índice na mesma proporção que eles existem na carteira teórica original.

Pense assim: se uma ação é uma flor, um ETF é um buquê, com diversas flores diferentes em quantidades variadas.

E no caso do IDIV, é o ETF DIVO11 que o replica, comprando as ações do Índice na mesma proporção que elas tomam no IDIV.

Dessa forma, o DIVO11, administrado pelo Itaú Unibanco S.A., tem uma rentabilidade muito parecida com a do IDIV, como mostra o gráfico abaixo:

Como você pode ver, o DIVO11 teria dado um retorno final muito parecido com o do IBRx, índice geral da Bolsa, entre 2012 e hoje.

Isso apesar de ter ficado alguns períodos acima e outros abaixo do Índice.

Portanto, embora não seja possível investir diretamente no IDIV, é possível, através do DIVO11, obter uma rentabilidade semelhante à do Índice de Dividendos da B3!

Porém, vale lembrar: esse ETF, assim como os outros, não repassa os dividendos ao cotista, mas sim reinveste eles no próprio fundo!

E não custa lembrar também: ISSO NÃO É UMA RECOMENDAÇÃO

Isso porque, como eu disse anteriormente, eu nem sequer invisto com base em dividendos.

CRIANDO UMA CARTEIRA DE AÇÕES PARA VIVER DE RENDA

Como viver de renda

Apesar de não investir com base em dividendos, eu vejo sim as ações como uma forma de viver de renda!

Eu acredito que é possível criar uma carteira de ações que se valoriza o suficiente para que, no futuro, você possa viver da venda de partes dela, além de eventuais dividendos que ela pode pagar!

Nesse link, você pode baixar gratuitamente uma planilha que calcula quando você pode viver de renda com ações, e de quanto você precisa para isso, com base em 3 estratégias:

Tenho certeza que, com esse cálculo, você verá com muito mais clareza o impacto do investimento em valor no seu patrimônio no longo prazo!

Se você tiver alguma dúvida sobre este artigo, não esqueça de perguntar nos comentários ou em nosso e-mail [email protected]!

E, com isso, me despeço por hoje. 

Um forte abraço,

Ramiro Gomes Ferreira.