A mulher tem conquistado cada vez mais espaço no mercado de trabalho. E, com isso, seus interesses a respeito do mercado financeiro e da independência financeira da mulher tem aumentado.

Se, em outros tempos, elas precisavam depender do marido para se sustentar – e até aceitar relações abusivas por não ter seu próprio dinheiro, hoje a realidade está mudando.

Com a independência financeira feminina, veio também a autonomia e liberdade de poder de decisão de compra, de relacionamentos e de carreira.

Contudo, essa conquista não veio imune de algumas consequências e conciliar uma vida privada com a profissional pode ser um grande desafio para muitas delas.

Quer saber como a independência financeira da mulher pode ser conquistada e como conciliar outros aspectos da vida? Continue a leitura!

O que é independência financeira feminina?

independência financeira da mulher

A independência financeira está longe de ser uma quantia específica de dinheiro na conta. Ela está mais relacionada a ter condições de viver uma vida tranquila, com as contas em dia e sem que o dinheiro seja uma preocupação constante.

Se você ganha o suficiente para não depender de preços no mercado e consegue investir o seu dinheiro, você chegou à independência financeira.

Assim, a independência financeira feminina permite que a mulher escolha um trabalho com propósito e que ame para sobreviver – sem depender de outras pessoas.

O que é ter liberdade financeira?

Liberdade financeira não é atingir um certo nível elevado de riqueza, mas sim saber organizar suas finanças e ter estabilidade.

Para isso, é necessário saber quanto se ganha e quanto se gasta, além de buscar mais conhecimento na área financeira para que saiba gerenciar seus investimentos e cuidar do seu dinheiro.

Portanto, liberdade financeira está mais relacionada à liberdade econômica de conseguir realizar os seus sonhos, trabalhar naquilo que faça sentido para você e não depender do auxílio financeiro de outras pessoas.

Qual a diferença entre liberdade financeira e independência financeira?

Apesar de serem dois termos parecidos e que geram muitas dúvidas, liberdade e independência financeira são dois conceitos diferentes.

Enquanto a liberdade financeira está relacionada à maior autonomia em tomar decisões sem se preocupar com contas a pagar, a independência financeira é um passo ainda depois: é quando os seus rendimentos são capazes de suprir todos os seus gastos e você pode, literalmente, “viver de renda”.

Por que a independência financeira da mulher é importante?

Empoderamento feminino financeiro

Apesar de o empoderamento feminino ter dado muita voz às mulheres, muitas ainda sofrem diversos tipos de abusos, não só psicológicos ou sexuais, mas também patrimoniais.

A violência patrimonial se refere à privação do direito da mulher de buscar o seu próprio sustento por meio do trabalho, podendo, assim, ter os meios básicos de sobrevivência sem depender de ninguém.

Neste sentido, a independência financeira da mulher é muito importante para dar autonomia para viver a vida de acordo com os seus próprios objetivos.

Independência financeira da mulher

A busca da independência financeira da mulher está cada vez mais presente nas mulheres que trabalham. Contudo, com mais tempo dedicado ao trabalho para alcançá-la, outras áreas da vida acabam sendo negligenciadas.

Dessa forma, veja o impacto que essa busca pela independência financeira feminina pode ter:

As mulheres no mercado de trabalho

Antigamente, as mulheres eram restritas a apenas trabalhos domésticos ou cargos inferiores, que exigiam menos educação e, consequentemente, possuíam remunerações mais baixas.

Hoje em dia, essa não é mais a maior realidade. As mulheres, cada vez mais, têm conquistado cargos mais altos que antes eram ocupados apenas por homens.

E essa inserção das mulheres numa vida corporativa mais ativa tem trazido bons resultados em relação a produtividade e concorrência.

A importância da educação financeira

Estudar sobre o mercado financeiro é importante para as mulheres saberem como administrar o seu dinheiro. Por isso, elas precisam ter acesso a cada vez mais informações de qualidade, além de quebrar as barreiras culturais que, muitas vezes, as afastam desse nicho.

Entender sobre relações de trabalho, como economizar o seu dinheiro, como aumentar o seu salário, como investir o seu dinheiro e diversos outros assuntos são fundamentais para que a mulher atinja a sua independência financeira. 

Conflito de prioridades

Uma das maiores dificuldades encontrada pelas mulheres que estão no mercado de trabalho é conciliar os esforços corporativos com a vida em família e os cuidados da casa.

Apesar de terem feito o seu melhor durante o dia, ainda é muito difícil para as mulheres se libertarem do estereótipo de “mães perfeitas”, o que acaba gerando muita frustração ao final do dia.

Maternidade

A maternidade é, muitas vezes, um assunto delicado para as mulheres. Pela idade reprodutiva ter um fim, a maioria das mulheres tenta conciliar a vida profissional com a idade ideal para engravidar.

Junto a isso, vem o medo da demissão ou da recolocação no mercado de trabalho após um tempo afastada. Por isso, cada vez mais mulheres têm optado por ter filhos depois dos 40 anos.

Além disso, muitas mulheres se afastam do mercado de trabalho após terem o primeiro filho, muito em função de seu desejo de estar próxima à criança quanto à dificuldade em se recolocar.

Dessa forma, conseguir construir uma independência financeira antes da gravidez pode trazer maior liberdade e tranquilidade à nova mãe.

Como conquistar a independência financeira?

Educação financeira para mulheres

A independência financeira, muitas vezes, pode ser vista como um objetivo inalcançável para muitas mulheres. Mas a boa notícia é que não é!

Existem alguns passos que você pode fazer para conquistar a sua independência financeira. O primeiro deles é conseguir um emprego (caso ainda não tenha) e aprender a controlar as suas finanças. Saiba mais:

1. Tenha um planejamento financeiro

O planejamento financeiro nada mais é do que controlar os seus gastos mensais e você pode fazer isso por meio de uma planilha de excel ou por um aplicativo de celular.

É vital anotar tudo o que sai, como suas contas fixas (moradia, água, luz, internet, etc) e contas variáveis (prestações, restaurantes, mercado, etc) e tudo o que entra, como o seu salário mensal e outros rendimentos que você tiver, como locações de imóveis ou investimentos.

2. Comece a investir

Se você ainda não faz investimentos, essa é a hora de começar a estudar sobre finanças e conhecer os principais tipos de investimentos.

Você pode optar por renda variável, como ações na bolsa de valores, commodities, por renda fixa, como tesouro direto ou CDBs.

É importante colher o máximo possível de informações antes de tomar uma decisão para que você encontre o tipo de investimento que mais faça sentido para os seus objetivos de vida.

3. Defina objetivos

É necessário que você defina objetivos para se manter fiel a sua meta de alcançar a independência financeira.

Lembre-se de estabelecer metas reais para que você consiga cumpri-las. Primeiro, defina uma quantidade pequena de dinheiro que você irá economizar todos os meses e se comprometa a guardar.

Sempre que tiver que fazer uma compra, se pergunte se essa ação lhe aproxima (gastar com estudos, por exemplo) ou lhe afasta (comprar itens supérfluos) do seu objetivo de vida.

4. Reduza gastos

Depois de conseguir juntar dinheiro todos os meses, é importante que você reduza os seus gastos. Assim, será possível que você economize mais por mês e alcance o seu objetivo ainda mais rápido.

Portanto, corte despesas dispensáveis a sua sobrevivência e comece a fazer outras escolhas, como cozinhar a sua comida ao invés de pedir delivery.

5. Não compre por impulso

Sair às compras, de vez em quando, pode fazer com que você alivie o seu estresse e até se divirta. Contudo, cuide com as compras por impulso.

Antes de comprar algo, se pergunte se é realmente necessário e se está fazendo falta. Caso a resposta seja não, pense duas vezes antes de gastar o seu dinheiro.

Se lembre do objetivo de vida que você já traçou anteriormente e tome atitudes que lhe aproximem dele.

6. Desenvolva sua educação financeira

Aprender sobre finanças é importante para lhe manter focada no seu objetivo. Isso porque, quando você sabe como algo funciona, tem uma tendência maior a se manter fiel ao plano.

Ou seja, desenvolver a sua educação financeira lhe trará o conhecimento necessário para aplicar ações no seu dia a dia compatíveis com o seu objetivo de alcançar a independência financeira.

7. Diversifique as fontes de renda

Depender de uma única fonte de renda pode ser perigoso. Se você for demitida, perderá o seu salário e poderá ficar sem chão, tendo que recorrer à sua reserva financeira e perdendo grandes possibilidades de futuro (aposentadoria, viagens, faculdade dos filhos…).

Por isso, procure diversificar as formas com que o dinheiro entra. Veja em quais habilidades você é boa e procure fazer alguns trabalhos por fora, invista o seu dinheiro para ganhar rendimentos, etc.

8. Entenda seu perfil de investidor

Se for optar por ganhar uma renda extra com rendimentos, o primeiro passo é entender o seu perfil de investidor. Você é conservadora, moderada ou agressiva?

Ou seja, dependendo da sua tolerância ao risco, conseguirá fazer melhores escolhas a respeito de como investir o seu dinheiro.

9. Procure uma ajuda especializada sobre investimentos

Entender sobre o mercado financeiro pode ser muito denso e requerer muito tempo. Tempo este que você poderia estar aproveitando para trabalhar e aumentar a sua renda.

Por isso, procurar por uma ajuda especializada para auxiliar você a fazer os melhores investimentos de acordo com o seu objetivo pode ser uma boa alternativa.

Quanto custa a independência financeira?

Independência financeira feminina

Mais do que um valor em si, a independência financeira custa a dedicação ao seu objetivo.

Você terá que abdicar de muitas coisas – como, por exemplo, o tempo se divertindo para estudar sobre o mercado financeiro, ou de compras para conseguir economizar, etc.

Contudo, caso queira fazer uma conta, pense da seguinte maneira: tendo em vista uma rentabilidade de 6% ao ano, divida o valor da sua renda anual por 0,06 para entender quanto você precisaria, em média, para chegar ao valor de patrimônio que seria ideal para você.

Independência financeira com o Clube do Valor

Você não precisa se cobrar em entender tudo! Sabemos que conciliar uma vida de trabalho, com maternidade e vida pessoal é muito desafiador e as vezes não há tempo para se dedicar como gostaria em tudo.

Por isso, é importante confiar em consultores especializados que possam lhe ajudar a chegar na sua tão sonhada independência financeira e alcançar a liberdade de realizar os seus sonhos.

Os especialistas do Clube do Valor sabem desenvolver as melhores estratégias para alcançar a independência financeira da mulher. Veja a lista de cursos que te ajudam na sua jornada de ser uma investidora melhor.

Além disso, não deixe de conferir os nossos conteúdos gratuitos para continuar desenvolvendo a sua educação financeira no instagramyoutube e facebook.