Vejo muitos investidores que estão começando a investir pulando uma das primeiras, e mais importantes, etapas no planejamento de investimentos: a definição de objetivos financeiros. 

E isso pode custar muito caro, acredite.

Neste texto, você vai entender quais são os pontos essenciais para começar a pensar nos seus objetivos financeiros. E, ainda, vai saber como montar a sua carteira para os objetivos de curto, médio e longo prazo.

Liquidez e risco dos investimentos

objetivo financeiro investimento

Antes de iniciar o seu planejamento, você tem que ter muito claro dois conceitos super importantes no mercado financeiro: risco e liquidez

A liquidez é a disponibilidade do recurso investido.

Ou seja, quando e com que facilidade você consegue resgatar o ativo. Assim: quanto maior o prazo, e menor a liquidez, maior tende a ser a rentabilidade.

Podemos considerar o risco aqui como a volatilidade que determinado ativo pode ter.

Portanto, o quanto ele pode se desvalorizar em um determinado período de tempo. Quanto maior o risco, maior tende a ser o potencial de rentabilidade no longo prazo.

Para montar uma estratégia de investimentos baseada nos seus objetivos, você tem que saber como combinar muito bem esses dois fatores – liquidez e risco – e encontrar os investimentos mais adequados para cada prazo e perfil de objetivo.

Objetivo financeiro de curto, médio e longo prazo

O primeiro passo, então, é listar todos os seus objetivos financeiros e separá-los em 3 categorias. Veja:

  • Objetivos de curto-prazo: até 1 ano. Exemplo: troca de carro.
  • Objetivos de médio-prazo: de 1 até 5 anos. Exemplo: uma viagem internacional.
  • Objetivos de longo-prazo: maior do que 5 anos. Exemplo: troca de imóvel e a tão sonhada independência financeira.

Para cada uma dessas categorias, o ideal é que você monte carteiras separadas. Vou te mostrar agora como organizar suas carteiras para cada um desses objetivos. Vem comigo:

Carteira de curto prazo

A carteira de curto prazo deve ser montada, idealmente, 100% com renda fixa pós fixada – como o Tesouro Selic ou um LCI/LCA de liquidez diária.

Isso porque essa é uma classe que rende todo dia um pouquinho, sem maiores oscilações.

Atenção: como o prazo do seu objetivo aqui é curto, você não pode abrir mão de liquidez e nem se expor ao risco de este recurso se desvalorizar.

Ou seja, a carteira de curto prazo necessariamente tem que ter uma alta liquidez e risco zero, ou muito baixo.

Carteira de médio prazo

A carteira de médio prazo se mantém também 100% em renda fixa – mas você já pode começar a diversificar entre as suas 3 classes: pós fixada, pré-fixada e inflação. 

Aqui, você pode abrir um pouco de mão a liquidez, alocando em títulos que tenham o prazo de vencimento mais longo e mais próximo ao prazo do seu objetivo (que proporcionará taxas mais atrativas). 

Atenção: consideramos que ainda é um prazo muito curto para se expor em renda variável, por isso o risco da carteira deve continuar baixo. Isso porque é normal que as classes de renda variável passem por períodos longos com um desempenho ruim ou negativo. 

Resumidamente, a carteira de médio prazo pode ter uma liquidez mais baixa ou média, mas o risco deve se manter baixo.

Carteira de longo prazo

Na carteira de longo prazo, é importante você ter clareza de que o objetivo de independência financeira é diferente de outros objetivos financeiros, como a compra de um imóvel, por exemplo. 

Isso porque, para o objetivo de independência financeira – quando chegar a fase de viver de renda – você vai realizar retiradas graduais ao longo de vários anos. 

Lembre-se: quando o seu objetivo demandar o resgate do investimento de uma vez só, ou em um período curto de tempo – como a compra de um imóvel em 7 anos, por exemplo – a composição da carteira deve ser muito mais conservadora.

Nesse caso, você até pode ter uma parcela em renda variável, mas muito menor do que a carteira de independência financeira. Além disso, ela vai gradualmente diminuindo até chegar 100% em renda fixa também a medida que objetivo se aproxima.

Já para a independência financeira, pode ser montada uma composição de carteira com liquidez mais baixa e risco um pouco mais alto para buscar uma rentabilidade maior.

Na carteiras de longo prazo de clientes do Clube do Valor, geralmente montamos uma composição muito bem diversificada com Fundos Imobiliários, Ações Brasil, Ações Americanas, Renda Fixa Pré-Fixada, Pós Fixada e atrelada à Inflação, respeitando sempre a tolerância ao risco de cada perfil.

Como fazer o planejamento de independência financeira?

homem definindo seus objetivos financeiros

Primeiro, você deve definir o valor que gostaria ter de renda passiva descontando a inflação. Importante considerar aqui que alguns custos tendem a aumentar com a idade mais avançada, como custos com a saúde. 

Para fazer este cálculo, você pode usar a Calculadora de Independência Financeira.

Trago aqui como exemplo o meu plano de independência financeira hoje: o meu objetivo é ter uma renda passiva de 20 mil por mês a dinheiro de hoje, o que faz com que eu precise acumular um patrimônio para este objetivo de aproximadamente R$ 4 milhões em 20 anos. 

Eu sei o quanto eu preciso aportar mês a mês e tudo o que eu preciso fazer para chegar lá. Ter essa clareza é fundamental para que você consiga conquistar objetivos desafiadores como esse.

Consultoria de Investimentos

Na Consultoria de Investimentos, esse é o principal objetivo que gostamos de planejar e definir com os nossos clientes: como conquistar a independência financeira da forma mais inteligente possível.

Isso porque contar com o INSS para a aposentadoria pode ser bastante arriscado. O fato de termos cada vez mais pessoas usufruindo dos benefícios da previdência social do que contribuindo torna o sistema, no formato atual, insustentável. 

Hoje o rombo da previdência social é próximo a R$ 370 bilhões. Assim como aconteceu nos últimos 20 anos, a tendência é que daqui pra frente novas reformas aconteçam, cada vez reduzindo mais o teto de renda e aumentando o período de contribuição necessário. 

Por isso, nossa aposentadoria é algo que precisa estar sob o nosso controle, não pode depender do governo e de mais ninguém. 

Se você quer falar com um de nossos melhores consultores financeiros, ou entender mais sobre o serviço de Consultoria, clique aqui.

Por fim, não deixe de conferir os conteúdos gratuitos e continue desenvolvendo a sua educação financeira no instagramyoutube e facebook.

E você, já tem seus objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo definidos?